Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Behavioral and neuropharmacological evidence that serotonin crosses the blood-brain barrier in Coturnix japonica (Galliformes; Aves)

Polo, PA.; Reis, RO.; Cedraz-Mercez, PL.; Cavalcante-Lima, HR.; Olivares, EL.; Medeiros, MA.; Côrtes, WS.; Reis, LC..
Braz. J. Biol.; 67(1)2007.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-446220

Resumo

This study was carried out aiming to reach behavioral and neuropharmacological evidence of the permeability of the blood-brain barrier (BBB) to serotonin systemically administered in quails. Serotonin injected by a parenteral route (250-1000 µg.kg-1, sc) elicited a sequence of behavioral events concerned with a sleeping-like state. Sleeping-like behaviors began with feather bristling, rapid oral movements, blinking and finally crouching and closure of the eyes. Previous administration of 5-HT2C antagonist, LY53857 (3 mg.kg-1, sc) reduced the episodes of feather bristling and rapid oral movements significantly but without altering the frequency of blinking and closure of the eyes. Treatment with the 5-HT2A/2C antagonist, ketanserin (3 mg.kg-1, sc) did not affect any of the responses evoked by the serotonin. Quipazine (5 mg.kg-1, sc) a 5-HT2A/2C/3 agonist induced intense hypomotility, long periods of yawning-like and sleeping-like states. Previous ketanserin suppressed gaping responses and reduced hypomotility, rapid oral movements and bristling but was ineffective for remaining responses induced by quipazine. Results showed that unlike mammals, serotonin permeates the BBB and activates hypnogenic mechanisms in quails. Studies using serotoninergic agonist and antagonists have disclosed that among the actions of the serotonin, feather bristling, rapid oral movements and yawning-like state originated from activation of 5-HT2 receptors while blinking and closure of the eyes possibly require other subtypes of receptors.
Este estudo foi desenvolvido objetivando ampliar as evidências comportamentais e neurofarmacológicas da permeabilidade da barreira hematoencefálica (BHE) à serotonina administrada sistemicamente em codornas. A serotonina injetada por via parenteral (250-1000 µg.kg-1, sc) produziu uma seqüência de eventos relacionados com um estado semelhante ao sono. Comportamentos semelhantes ao sono começaram com o eriçamento das penas, movimentos orais rápidos, piscadelas e finalmente agachamento e fechamento dos olhos. A administração prévia do antagonista do receptor 5-HT2C, LY53857 (3 mg.kg-1, sc) reduziu significativamente os episódios de eriçamento das penas e movimentos orais rápidos, mas não alterou a freqüência de piscadelas e fechamento dos olhos. Tratamento com o antagonista do receptor 5-HT2A/2C, quetanserina (3 mg.kg-1, sc) não afetou nenhuma das respostas evocadas pela serotonina. A quipazina (5 mg.kg-1, sc), um agonista dos receptores 5-HT2A/2C/3, induziu intensa hipomotilidade e longos períodos de comportamentos semelhantes ao bocejo e ao sono. O tratamento prévio com quetanserina suprimiu as reações de bocejo e reduziu a hipomotilidade, os movimentos orais rápidos e as piscadelas, mas foi sem efeito para as demais respostas induzidas pela quipazina. Os resultados mostraram que, diferentemente dos mamíferos, a serotonina atravessa a BHE e ativa mecanismos hipnogênicos em codornas. Estudos com agonistas serotoninérgicos e antagonistas revelaram que, entre as ações da serotonina, o eriçamento das penas, os movimentos orais rápidos e o comportamento semelhante ao bocejo foram originados pela ativação de receptores 5-HT2, enquanto o piscar e o fechamento dos olhos possivelmente requereu outros subtipos de receptores.
Biblioteca responsável: BR68.1