Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

The community of hummingbirds (Aves: Trochilidae) and the assemblage of flowers in a Caatinga vegetation

Las-Casas, FMG; Azevedo Júnior, SM; Dias Filho, MM.
Braz. J. Biol.; 72(1)2012.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-446813

Resumo

We studied hummingbirds and their food plants in an area of caatinga vegetation. We specifically examined their seasonal use of this habitat, migratory and non-migratory status, their foraging strategies and community roles The study was conducted in an area of arboreal-shrub caatinga, located in the Serra do Pará, municipality of Santa Cruz do Capibaribe, state of Pernambuco in northeastern Brazil. Field work was undertaken during 12 expeditions on a monthly basis between June, 2007 and May, 2008. Five species of hummingbirds were recorded visiting flowers in the community studied. Three were considered residents: Chlorostilbon lucidus (Shaw, 1812), Eupetomena macroura (Gmelin, 1788), and Heliomaster squamosus (Temminck, 1823). Hummingbirds visited 31 species of plants, of which only five presented attributes related to ornithophily. C. lucidus visited 29 plant species, including all ornithophilous species, and it was the most aggressive, defending territories. Among hummingbirds, C. lucidus may be considered the principal pollinator. Hummingbirds may also be acting as pollen vectors for some of the plant species not identified as ornithophilous. The hummingbird guilds varied among the plant species used as floral resources, as well as in their frequency of visits. Differences in plant species abundance, hummingbird preference, competitive exclusion or flowering seasonality are factors likely to influence those variations.
Propôs-se estudar os beija-flores e as espécies de plantas utilizadas como recurso alimentar em uma área de caatinga, estudando especificamente a sazonalidade das espécies de beija-flores nesse habitat, os status migratório e não migratório, as suas estratégias de forrageamento e os papéis comunitários. O estudo foi conduzido em uma área de caatinga arbóreo-arbustiva, localizada na Serra do Pará, município de Santa Cruz do Capibaribe, Estado de Pernambuco, no nordeste do Brasil. Os trabalhos de campo foram realizados durante 12 expedições mensais entre junho de 2007 e maio de 2008. Cinco espécies de beija-flores foram registradas visitando flores na comunidade estudada. Três espécies foram consideradas residentes: Chlorostilbon lucidus (Shaw, 1812), Eupetomena macroura (Gmelin, 1788) e Heliomaster squamosus (Temminck, 1823). Os beija-flores visitaram 31 espécies de plantas, das quais apenas cinco apresentaram atributos relacionados à ornitofilia. C. lucidus visitou 29 espécies de plantas, incluindo todas as ornitófilas, assim como também foi a espécie mais agressiva, defendendo territórios. Entre os beija-flores, C. lucidus pode ser considerado como o principal polinizador. Os beija-flores podem estar atuando como vetores de pólen para algumas espécies de plantas não identificadas como ornitófilas. As guildas de beija-flores variaram entre as espécies de plantas utilizadas como recurso floral, assim como nas suas frequências de visitas. Diferenças na abundância das espécies de plantas, na preferência por parte dos beija-flores, na exclusão competitiva ou na sazonalidade de floração são fatores que podem ter influência sobre essas variações.
Biblioteca responsável: BR68.1