Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Freqüência de lesões gástricas em suínos destinados ao abate na região de Ribeirão Preto, SP

Carvalho, L.F.O.S.; Oliveira, C.J.B.; Martinez, P.A.O.; Mazzucato, B.C.; Alessi, A.C..
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-447519

Resumo

Stomachs from 1085 female and castrated male, 140-150 days of age pigs, were collected and examined at slaughter. Macroscopic analysis revealed 694 (64.0%) stomachs with some degree of lesion. Parakeratosis alone was found in 213 (19.6%) stomachs. However, in 319 (29.4%) stomachs parakeratosis was associated with erosive, or with erosive and ulcerative processes. Discrete superficial erosions, associated or not with ulcers, were identified in 121 (11.2%) animals. Ulcers, alone, were found in 41 (3.8%) stomachs. These lesions were distributed in the fundic area (6.6%) but, mainly, in the pars oesophagea (62.8%) region, suggesting not only that they are independent, but that they may have different causes. Gastroesophageal ulcers and erosions were affecting 22.7% of castrated males, but only 16.5% of females, possible showing a sex linked interference on the pathogenesis of this syndrome. Microscopic analysis did not enhance or brought an additional aid for a better characterization of the macroscopic lesions, indicating that a fair and judicious macroscopic evaluation can be a good and reliable method for the evaluation of gastric lesions in pigs.
Foram colhidos e examinados 1085 estômagos de suínos, machos castrados ou fêmeas, todos com idade entre 140 e 150 dias. As lesões encontradas foram classificadas de acordo com a localização, tipo e severidade. A análise macroscópica revelou que 694 (64%) estômagos apresentavam algum tipo de lesão. A paraqueratose foi identificada como alteração patológica única em 213 (19,6%) estômagos. Em outros 319 (29,4%) estômagos, ela estava associada apenas a processos erosivos ou associada a erosões e úlceras. Erosões isoladas ou associadas a ulcerações foram identificadas em 121 (11,2%) animais, enquanto que úlceras, foram verificadas em 41 (3,8%) animais. A avaliação por regiões, revelou que 62,8% apresentaram lesões na região gastresofágica e apenas 6,6% na região fúndica do órgão. Tais achados sugerem a existência de diferentes causas na etiopatogenia desses dois processos gástricos. A ulceração gastresofágica estava presente em 213 (19,6%) animais, dos quais 22,7% eram machos castrados e 16,5% eram fêmeas, fato que evidencia possível influência do sexo na freqüência dessa patologia em suínos. Os exames microscópicos, realizados em parte das amostras, apenas confirmaram as alterações, já identificadas pelo exame macroscópico. Apenas o exame macroscópico conduz a resultados confiáveis na avaliação de lesões gástricas em suínos.
Biblioteca responsável: BR68.1