Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Detecção dos genes de Staphylococcus aureus, enterotoxinas e de resistência à meticilina em leite

Dias, N.L.; Silva, D.C.B.; Oliveira, D.C.B.S.; Fonseca Junior, A.A.; Sales, M.L.; Silva, N..
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-447879

Resumo

This work was performed to detect the Staphylococcus aureus gene, enterotoxins resistance to methicillin with the extraction of DNA directly from milk samples. Of the 200 samples studied 145 (72.5%) amplified the femA gene, which were analyzed regarding the presence of sea, seb, sec and mecA genes. The most prevalent enterotoxins genes were: sea (60%), seb (37.9%) and sec (6.9%). 18 milk samples (11 %) had S. aureus carrying the mecA gene. The detection of S. aureus directly from the milk, with no need for bacterial isolation and the characterization of the enterotoxigenic potential demonstrate that the PCR technique is very useful for epidemiological studies of staphylococcal infections of the mammary gland. The high percentage (72.5%) of positive milk samples for the presence of the femA gene suggests that S. aureus constitutes of the main agents which cause intramammary infections in the micro region of Sete Lagoas-MG and that its enterotoxigenic potential and the presence of the mecA gene, which identifies the S. aureus resistant to methicillin, represent a potential risk to public health.
Realizou-se a detecção do gene de Staphylococcus aureus, de enterotoxinas e de resistência à meticilina com extração de DNA feita diretamente de amostras de leite. Das 200 amostras estudadas, 145 (72,5%) amplificaram o gene femA, e estas foram analisadas quanto à presença dos genes sea, seb, sec e mecA. Os genes das enterotoxinas mais prevalentes foram: sea (60%), seb (37,9%) e sec (6,9%). Foram encontradas 18 amostras de leite (11,0 %) com S. aureus portadores do gene mecA. A detecção de S. aureus diretamente do leite, sem a necessidade de isolamento bacteriano e a caracterização do potencial enterotoxigênico, demonstra que a técnica de PCR é muito útil para estudos epidemiológicos das infecções estafilocócicas da glândula mamária. O alto percentual (72,5%) de amostras de leite positivas para a presença do gene femA sugere que S. aureus constitui um dos principais agentes causadores de infecções intramamárias na microrregião de Sete Lagoas-MG e que seu potencial enterotoxigênico e presença do gene mecA, que identifica o S. aureus resistente à meticlina, representa um risco potencial à saúde pública.
Biblioteca responsável: BR68.1