Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Modelo de anestesia em coelhos para procedimentos no tórax

Kallas, Elias; Brandão Schnaider, Taylor; Juliano, Yara; Ferreira Novo, Neil; Elias Kallas, Ibrahim; de Fátima Brasil Engelman, Miriam; Carvalho Kallás, Alexandre; Fernando de Castro, Luiz.
Acta cir. bras.; 16(2)2001.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-448253

Resumo

The endotracheal intubation of rabbits is difficult. The anesthetic risk is high because of the narrow difference between the effective and the lethal dose. We used a safe and simple method. Ten male animals received intramuscular injection of acepromazine, cetamine, and xylazine. Ten minutes later, an endotracheal canula was inserted trough a small cervical incision on the crico-tyroid membrane, to administrate oxigen and halothane. Thoracotomy was performed in the 5th. left intercostal space and a pulmonary biopsy too. The left lung collapsed and ventilation of the right lung remained for the next 30 minutes. Arterial blood pH was measured at the beginning of the procedure, after thoracotomy and after 30 minutes of selective ventilation. After 30 minutes, left pulmonary expantion was permited and thoracotomy closed without pneumotorax. As soon as the animals started breathing spontaneously the endotracheal canula was removed and crico-thyroid membrane closed with 7-0 polypropilene suture. Two weeks later the animals were submitted to euthanasia with a new lung biopsy and the trachea and laryng examined. During the procedure the animals had no important haemodinamics or gasometric disturbance. The results were good and brought us to the conclusion that it is a simple and effective method of anesthesia for thoracic surgery in rabbits.
A intubação endotraqueal em coelhos é dificil. O risco anestésico não é desprezível pela estreita margem de segurança entre o plano anestésico e o óbito. Tais fatos despertaram nosso interesse por uma solução simples e segura. Dez animais machos receberam por via intramuscular acepromazina, cetamina e xilazina. Após dez minutos procedeu-se exposição do ligamentum cricothyroideum , o qual foi incisado para colocação de tubo endotraqueal iniciando-se a administração de oxigênio e halotano. A punção arterial foi realizada para controle da pressão arterial média. Procedeu-se toracotomia no quinto espaço intercostal esquerdo com biópsia do pulmão e colabamento pulmonar, iniciando-se a ventilação seletiva do pulmão contra-lateral. Amostras sangüíneas, para medida do pH, foram colhidas no início do procedimento, após o colabamento pulmonar e no final, antes da expansão do pulmão, 30 minutos após o colabamento. Fechado o tórax, foi retirado o tubo endotraqueal tão logo o animal apresentasse recuperação dos reflexos e a seguir suturado ligamentum cricothyroideum. Os animais foram submetidos a eutanásia 14 dias após, quando procedeu-se a nova biópsia pulmonar, a retirada da traquéia e da laringe, para exame. Concluiu-se que este é um procedimento simples e seguro de anestesia para cirurgia torácica em coelhos.
Biblioteca responsável: BR68.1