Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

ANTÍGENO NUCLEAR DE PROLIFERAÇÃO CELULAR (PCNA) EM CARCINOMA DE CÉLULAS TRANSICIONAIS DE BEXIGA

A. D. Neto, J.; C. P. Martins, A.; Maggione, G.; Tucci Jr, S.; J. Cologna, A.; J. Suaid, H..
Acta cir. bras.; 162001.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-448304

Resumo

Proliferating cell nuclear antigen (PCNA) expression was described as marker of the proliferative activity in urothelial tumors. We compared the PCNA immunostaining index with the outcome of patients with bladder cancer. We revised 90 patients, with age varying from 29 to 93 years (mean 71 yrs), being 77.8% men and 22.2% women; mean follow-up of 55 months (2-231 months). Fifty per cent of tumors were grade I; 32.2% grade II and 17.8% grade III. Primary tumor stage was: invasive (> >pT1=31.1% and superficial (pTA-1=68.9%). Eighty-seven tumors (96.6%) expressed PCNA (median 72.5%, mean 60.1%). The mean PCNA index was not different (p = 0.39) in superficial or invasive tumors. The comparison of immunostaining mean values between G1/G2 (p = 0.087), /G1/G3 (p = 0.11) and G2//g3 (p = 0.66) was not statistically significant, as well among recurring and non-recurring tumors (p = 0.84) but PCNA expression correlated with survival rate (p = 0.003) and metastases free intervals (p = 0.01) but not with recurrent free intervals (p = 0.86). In conclusion, PCNA over expression correlated with survival and metastasis free intervals, but was not significant to differentiate invasive stages, agressive grades and recurring tumors.
O antígeno nuclear de proliferação celular (PCNA) foi descrito como marcador da atividade proliferativa. Correlacionamos a marcação do PCNA com a evolução dos pacientes com carcinoma de células transicionais de bexiga. Revisamos 90 pacientes do HC-FMRP-USP de 1980-2000; com idade variando de 29 a 93 anos e média de 71 anos; sendo 77,8% homens e 22,2% mulheres; seguimento médio de 55 meses (2-231 meses). Constatamos 50% de tumores grau I, (32,2%) grau II e 17,8% grau III; estadiados em pTA-60%, pT1-8,9% e >pT1 31,1%. Utilizamos o anticorpo primário Monoclonal Mouse Anti-Proliferating Cell Nuclear Antigen (PCNA) Clone PC10 (DAKO). Foram contadas 500 células (X400), e utilizado ponto de corte de 50%. A análise estatística foi realizada com o teste de Mann-Whitney. Kaplan-Meier e Logrank Oitenta e sete tumores (96,66%) expressaram PCNA (mediana 72.5%, média 60,16%). Observamos diferença não significativa (P=0,39) na imunomarcação do PCNA entre tumores pT2-4 e pTA-1. A comparação de medias entre G1 e G2 (P=0,087), G1 e G3 (P=0,11) e entre G2 e G3 (P=0,66) não mostraram significado estatístico,assim como entre tumores com recidiva e sem recidiva (P=0,84). Os indivíduos PCNA positivos não tiveram intervalo livre de doença significativamente diferente (P=0,86); entretanto foi significativa a diferença nas curvas de sobrevida (P=0,003) e nas curvas de intervalos livres de metástase (P=0,01). A expressão imunohistoquímica do PCNA não foi efetiva para diferenciar os tumores mais avançados e agressivos, assim como para predizer recidivas. Desta forma, apesar da correlação com o tempo livre de metástase e a sobrevida, não mostrou utilidade prática.
Biblioteca responsável: BR68.1