Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Efeitos da fratura de corpo da mandíbula no crescimento da maxila e da mandíbula: estudo experimental em ratos jovens

Maria Villanova Fernandes da Rocha, Elza; Cruvinel Goulart, Alan; Goldenberg, Saul; Gualberto de Cerqueira Luz, João.
Acta cir. bras.; 17(2)2002.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-448342

Resumo

Objective: The purpose of this study was to observe the effects of experimental fracture of the mandibular body on the growth of maxilla and mandible, by using one-month-old rats. Methods: These were distributed into two groups: experimental, which underwent a fracture of the right mandibular body, and sham-operated, which underwent the surgical access only. The animals were sacrificed at three months of age and, after dissection, the mandible was disarticulated. The skull was submitted to axial radiograph and the hemimandibles to a lateral radiograph. With these, cephalometric mensurations were made through a computer system, and the obtained values submitted to statistical analyses. Results: The length of the maxilla, as well as the height and length of the mandible presented significant difference with decrease to the right side, in the experimental group. In the sham-operated group there was significant difference with decrease to length of posterior part of the maxilla and to height and length of the mandible on the right side. The experimental group when compared to the sham-operated group was significantly lesser in all the mensurations of maxilla and mandible to both sides, except in mandibular length. Conclusion: It was concluded that fracture of the mandibular body, as well as the surgical access, had negative effects on growth of maxilla and mandible.
Objetivo: Observar os efeitos da fratura experimental de corpo de mandíbula no crescimento da maxila e mandíbula. Métodos: Utilizando ratos com um mês de idade. Estes foram distribuídos em dois grupos: experimental, onde foi efetuada a fratura de corpo de mandíbula à direita, e controle-operado, no qual foi realizado apenas o acesso cirúrgico. Aos três meses de idade foi realizada a eutanásia e após a maceração, a mandíbula foi desarticulada. O crânio foi submetido à incidência radiográfica axial e as hemi-mandibulas à incidência radiográfica lateral. Com base nestas, foram feitas mensurações cefalométricas por meio de um sistema de computador e os valores submetidos a análises estatísticas. Resultados: O comprimento da maxila, bem como a altura e o comprimento da mandíbula apresentaram diferença significante a menor para o lado direito, no grupo experimental. No grupo controle-operado houve diferença significante a menor para o comprimento da porção posterior da maxila e para a altura e comprimento da mandíbula para o lado direito. O grupo experimental quando comparado ao grupo controle-operado mostrou ser significativamente menor em todas as mensurações da maxila e mandíbula para ambos os lados, com exceção do comprimento da mandíbula. Conclusão: A fratura de corpo da mandíbula, bem como a abordagem cirúrgica, tiveram efeitos negativos no crescimento da maxila e da mandíbula.
Biblioteca responsável: BR68.1