Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Submucosa de intestino delgado no reparo de defeito em parede abdominal de ratos

Hintz Greca, Fernando; Alves de Souza Filho, Zacarias; Luiz Rocha, Sergio; Soldatelli Borsato, Karin; Augusto Dalarossa Fernandes, Heitor; Aurelio Niiside, Marco.
Acta cir. bras.; 19(5)2004.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-448640

Resumo

PURPOSE: The aim of the present study was compare the biocompatibility of a polypropylene mesh and a patch of porcine small intestinal submucosa (SIS) when used to repair a defect involving the entire anterior abdominal wall of rats. METHODS:Twenty Wistar rats were allocated in 2 groups of 10 animals each. In the group 1 the defect was repaired with SIS and in the group2 it was repaired with polypropylene mesh. On the 30th post-operative day the animals were sacrificed for macroscopic , histological and tensiometric evaluation. RESULTS: Adhesions were present in the animals of both group , but in the polypropylene mesh group the intestinal adhesions were more frequent than in the SID group. The maximum tensile strength was greater in the polypropylene group, however is we consider the thickness of the implants, the tensile strength of submucosa was significantly greater. The mesothelium coverage and the collagen deposition was greater in the SID group. The foreign body reaction and the chronic inflammatory process was higher in the SID group. The percentage of mature collagen was significantly greater in the SIS group. CONCLUSION: We concluded that SIS can be an alternative to synthetic meshes when used to repair the defects of abdominal wall.
OBJETIVO: Comparar a biocompatibilidade da tela de polipropileno e do enxerto de submucosa intestinal de suínos, quando usados para o reparo de defeito criado na parede anterior de abdomen de ratos, que envolveu toda a sua espessura e extensão. MÉTODO: Vinte ratos Wistar foram divididos em dois grupos de 10 animais. Um defeito quadrangular, com 3,5cm de lado foi criado cirurgicamente na parede abdominal anterior dos 20 ratos. No primeiro grupo(grupo 1) este defeito foi reparado com submucosa de intestino delgado (SID), e no segundo grupo(grupo 2) com tela de polipropileno. Após 30 dias, os animais foram sacrificados. Além da avaliação macroscópica dos enxertos, realizou-se um estudo tensiométrico e microscópico. RESULTADOS: Os animais de ambos os grupos apresentaram aderências entre o implante e as estruturas intra-abdominais, todavia no grupo com a tela de polipropileno observou-se maior número de aderências entre a tela e as alças intestinais. A força máxima de ruptura foi significantemente maior no grupo de animais com a tela de polipropileno, todavia se corrigida pela espessura do enxerto, a tensão máxima foi maior no enxerto de submucosa porcina que na tela de polipropileno. A mesotelisação foi significativamente mais intensa no grupo da submucosa, assim como a deposição de colágeno. As reações granulomatosas de corpo estranho e inflamação crônica também foram mais intensas no grupo 1. CONCLUSÃO: A SID monstrou ser uma alternativa ao enxerto sintético no reparo de grandes defeitos da parede abdominal em ratos, com melhor mesotelisação e deposição de colágeno, sem aumento no número de complicações. A submucosa apresentou maior resistência por mm², apesar de ter se mostrado menos resistente quando considerada a força maneira absoluta.
Biblioteca responsável: BR68.1