Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Fenologia e produtividade do araçá-boi (Eugenia stipitata, Myrtaceae) na Amazônia Central

de Aguiar FALCÃO, Martha; de M. Souza GALVÃO, Rozana; R. CLEMENT, Charles; A. do . FERREIRA, Sidney; das Graças SAMPAIO, Sebastiana.
Acta amaz.; 30(1)2000.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-449788

Resumo

The araçá-boi (Eugenia stipitata McVaugh ssp. sororia McVaugh, Myrtaceae) is a small fruit species native to western Amazonia with international potential as a juice and flavor. Although seldom planted in Brazilian Amazonia because of its acidity, the species is being cultivated in other countries. A knowledge of phenology can help plan plantation management and fruit commercialization. The phenology of ten plants growing in a degraded oxisol was observed during five years. The araçá-boi generally flowered and fruited three times during the year, with at least one strong flowering peak in the dry season (July-September) and a strong fruiting peak in the rainy season (January-March). Flower initiation is a complex event that appears to take two to three months, although the period from flower bud appearance to anthesis is short (~15 days) and the period from anthesis to fruit maturation takes between 50 and 60 days. The multiple regressions used to determine the effect of climatic variables on flowering and fruiting had low determination coefficients, although the models were significant, probably because the araçá-boi flowers several times during the year and the most important stimulous for flowering is still unknown. Fruit set varied from less than 5% to about 15%. Mean fruit weight in January 1988 was 135 g, with 77% of pulp. During the 5 years, the 10 plants yielded 1000 fruits/year, with a median number of 890 fruits/year. Most of the insect visitors were bees, especially Apis mellifera, Eulaema mocsaryi and Ptilotrigona lurida.
O araçá-boi (Eugenia stipitata McVaugh ssp. sororia McVaugh, Myrtaceae) é uma frutífera nativa da Amazônia Ocidental com potencial para a indústria de sucos e flavorizantes. Embora pouco plantada na Amazônia brasileira devido a sua acidez, é frequentemente cultivada na Amazônia peruana. O conhecimento de sua fenologia pode ajudar no planejamento do manejo do plantio e da comercialização dos frutos. A fenologia de dez plantas, crescendo num latossolo amarelo degradado, foi observada durante cinco anos. O araçá-boi geralmente floresceu e frutificou três vezes ao longo do ano e sempre teve pelo menos um pico de floração forte durante a estação seca (julho a setembro) e um pico de frutificação mais acentuado na estação chuvosa (janeiro a março). A floração é um evento complexo e demorado que pode durar de dois a três meses, embora o período entre o aparecimento do botão floral até a antese do flor é curto (~15 dias) e o período entre a antese e a maturação dos frutos dura 50 a 60 dias. As regressões múltiplas usadas para determinar o efeito das variáveis climáticas na floração e frutificação não apresentaram altos coeficientes de determinação, embora os modelos tenham sido significantes, provavelmente porque o araçá-boi floresce várias vezes durante o ano e ainda não se sabe qual o estímulo mais importante para iniciar o processo. O vingamento dos frutos variou de menos de 5% a aproximadamente 15%. O peso médio dos frutos avaliados em janeiro de 1988 foi 135 g, com 77% de polpa. Ao longo do período, estimou-se que as dez plantas produziram cm média 1000 frutos/ano, com uma mediana de 890 frutos/ano. Os insetos visitantes eram principalmente abelhas, especialmente Apis mellifera, Eulaema mocsaryi e Ptilotrigona lurida.
Biblioteca responsável: BR68.1