Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Fisheries and fishing effort at the Indigenous Reserves Ashaninka/Kaxinawá, river Breu, Brazil/Peru

Domingues do Amaral, Benedito.
Acta amaz.; 35(2)2005.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-450113

Resumo

This article aimed to describe the subsistence fisheries of traditional populations of three ethnic groups, one Ashaninka and two Kaxinawá, lying on the banks of the River Breu. Initially, monitors were trained to fill logbooks with data from fisheries of the villages during an annual cycle (august/1995 august/1996). Based on these data, it was realized an inventory of the most common fish species caught as well as one about the fishing environment. The following results were obtained: i) Indians prefer to use pools, locally known as "poços", for fishing; ii) the most common caught species are the "mandis" (35%, Pimelodidae), armored catfishes (Loricariidae), specially Hypostomus sp. (25%), the "curimatá" (9%, Prochilodus sp.) and the "saburus" (8%, Curimatidae), among others; iii) the fishing gears that lead to a high rate of fishing are the native "tingui", nets and bow and arrows; iv) fisheries are more intensive during summer; v) the fishing effort and their associated factors statistically significant in predicting the catches in the Indian Reserve were f1 = number of fishermen, f2 = (number of fishermen*total time devoted to fishing), f3 = [(number of fishermen)*(total time devoted to fishing)-(the time displacement)] and the factor villages and fishing gears; vi) although almost all the fisheries are done by walking to the fishing places, catches increase when paddle boats are used; and vii) the most active fishermen belong to Kaxinawá tribe.
Este artigo tem o objetivo de descrever a pesca de subsistência das populações tradicionais de uma aldeia Ashaninka e duas Kaxinawá vivendo à beira do rio Breu. Inicialmente, foram treinados monitores para preencher fichas de coleta de dados das pescarias nas aldeias durante um ciclo anual (agosto/1995 agosto/1996). A partir desses dados realizaram-se os inventários das espécies de peixes capturadas e dos ambientes pesqueiros. A análise dos dados foi efetuada por meio de estatística descritiva e exploratória. Os resultados obtidos foram os seguintes: i) os ambientes mais procurados pelos índios foram os poços; ii) as espécies mais capturadas os mandis (35%, Pimelodidae), os bodes ou cascudos (Loricariidae), com destaque para o bode praiano (25%, Hypostomus sp.), o curimatã (9%, Prochilodus sp.) e os saburus (8%, Curimatidae), entre outros; iii) constatou-se que os arreios ou apetrechos de pesca que mais capturam peixes são o tingui (veneno), a tarrafa e o arco/flecha, respectivamente; iv) durante o verão a atividade de pesca é mais intensa; v) as medidas de esforço de pesca e os fatores associados que foram estatisticamente significativos nas predições das capturas na Reserva Indígena foram: f1 = o (número de pescadores), f2 = o (número de pescadores*tempo total das pescarias) e f3 = o [(número de pescadores*tempo total das pescarias)-(o tempo de deslocamento)] e os fatores aldeias e arreios; vi) apesar da maioria das pescarias serem realizadas a pé até os pesqueiros, as capturas são maiores quando a locomoção se dá através de canoa a remo; e vii) os pescadores mais ativos nas pescarias na Reserva Indígena foram os Kaxinawá.
Biblioteca responsável: BR68.1