Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Sobrevivência de espécies arbóreas plantadas em clareiras causadas pela colheita de madeira em uma floresta de terra firme no município de Paragominas na Amazônia brasileira

Macêdo Gomes, Jaqueline; Olegário Pereira de Carvalho, João; Gomes da Silva, Marcela; Nara Viana Nobre, Deusa; Taffarel, Marisol; Evandro Ribeiro Ferreira, Josué; Nonato Jesus Santos, Raimundo.
Acta amaz.; 40(1)2010.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-450559

Resumo

Survival of seedlings planted in 400 gaps created by reduced impact logging in a terra firme forest in the Eastern Amazonia was evaluated. 3,818 seedlings from 17 species occurring in the study area, except for Schizolobium amazonicum (paricá), which is rare in natural forests of Paragominas region, were planted in the gaps. Spacing of planted seedlings was 5m. According to survival of seedlings during 11 months after planting, the species Schizolobium amazonicum, Cedrela odorata, Jacaranda copaia, Manilkara huberi, Astronium gracile, Pouteria bilocularis, Tabebuia impetiginosa,Pseudopiptadenia suaveolens, Cordia goeldiana, Parkia gigantocarpa, Simarouba amara, Sterculia pilosa, Laetia procera, Dinizia excelsa and Schefflera morototoni can be suggested for enriching in gaps created by reduced impact logging. Complementary studies, mainly related to growth rates of seedlings, must be carried out and in a period longer than the present study to confirm the benefits of enrichment planting in gaps as an alternative to boost forest productivity and economic value of managed natural forest in the Brazilian Amazon.
Analisou-se a sobrevivência de mudas plantadas em 400 clareiras causadas por exploração florestal de impacto reduzido, em floresta de terra firme na Amazônia Oriental. Foram plantadas 3.818 mudas de 17 espécies, das quais apenas Schizolobium amazonicum não ocorre na área de estudo. A distância entre as mudas plantadas foi de aproximadamente 5m. As avaliações ocorreram em 2005 e 2006. Com base na sobrevivência das mudas aos 11 meses após o plantio, as espécies indicadas para o enriquecimento de clareiras são: Schizolobium amazonicum, Cedrela odorata, Jacaranda copaia, Manilkara huberi, Astronium gracile, Pouteria bilocularis, Tabebuia impetiginosa,Pseudopiptadenia suaveolens, Cordia goeldiana, Parkia gigantocarpa, Simarouba amara, Sterculia pilosa, Laetia procera, Dinizia excelsa e Schefflera morototoni. Estudos sobre a taxa de crescimento, em períodos mais longos, são necessários para confirmar a utilização dessas espécies em plantios de enriquecimento de clareiras oriundas de exploração florestal, como alternativa para aumentar a produtividade e o valor econômico das florestas naturais manejadas na Amazônia brasileira.
Biblioteca responsável: BR68.1