Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Caracterização epidemiológica, molecular e perfil de resistência aos antimicrobianos de Escherichia coli isoladas de criatórios suínos do sul do Brasil

Matiuzzi da Costa, Mateus; Sá e Silva, Mariana; Augusto Spricigo, Denis; Mazzini Witt, Niura; Beutinger Marchioro, Silvana; Kolling, Lilian; Palmira Castagna de Vargas, Agueda.
Pesqui. vet. bras; 26(1)2006.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-451068

Resumo

Colibacillosis is an enteric disease with a major impact to the swine industry and is caused by enterotoxigenic strains of Escherichia coli. Forty clinical isolates from pigs with diarrhea and 13 environmental isolates were analysed regarding their genotypic profile, genetic relationship and antibiotic resistance. The most prevalent gene was Stb, identified in 50% of the isolates from clinical cases, and Sta and Lt were detected in 35% of them. Among the adesine factors investigated, F18 was found in 27.5% of the E. coli strains. The ERIC-PCR technique used for epidemiological characterization of the isolates did not show the expected discriminatory power. However, the test allowed separation of the isolates in groups, but did not evidence groups related to virulence factors. In the susceptibility test, the highest values for resistance were to tetracycline, in 88.6%. The index of multiple resistance to antimicrobials varied from 0 to 0.69.
A colibacilose é a enfermidade entérica de maior impacto na suinocultura, sendo ocasionada por cepas enterotoxigênicas de Escherichia coli. Quarenta isolados clínicos de suínos com diarréia e 13 isolados ambientais foram analisados quanto ao perfil genotípico, relação genética e resistência antimicrobiana. O gene que codifica para a toxina Stb foi identificado em 50% dos isolados clínicos, seguido por Sta e Lt, com 35%. Dentre os fatores de adesinas pesquisados, a F18 foi encontrada em 27,5% das amostras. A técnica de ERIC-PCR utilizada para caracterização epidemiológica dos isolados, não demonstrou poder discriminatório esperado, e apesar de permitir a separação dos isolados em grupos, estes não evidenciaram grupos relacionados aos fatores de virulência. No teste de susceptibilidade antimicrobiana a maior resistência foi observada à tetraciclina, em 88,6%. O índice de resistência múltipla aos antimicrobianos (IRMA), variou entre 0 a 0,69.
Biblioteca responsável: BR68.1