Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Effect of curting frequency on production and nutritive value of elephant grass / Efeito de frequência de corte sobre o rendimento e qualidade de capim-elefante (pennisetum purpureum schum) Var. Uruckwami

Paes Guaragna, Guilherme; Roberto Cosentino, José; Tadeu Paulino, Valdinei; Aparecida Schammass, Eliana.
B. Indústr. Anim.; 50(2): 79-85, 1993.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-467295

Resumo

This experiment was conducted at Estação Experimental de Zootecnia in Pindamonhangaba county, State of São Paulo, Brazil. Dry matter and crude protein production and nutritive value of Uruckwami elephant grass were studied, during two years, under eight cutting frequency: 35, 42, 49, 56, 63, 70, 77 and 84 days, in the period of greatest growth, from september to june. The results of dry matter and protein production and the percentages of the forage components determined in the first year were higher (P 0.05) than those observed for second year. There was an increase of production and decrease of forage quality with increasing cut interval. In the first year the longest period, 84 days, presented the greatest production 41.0t/ha of dry matter and 4.1t/ha of crude protein and the lowest protein and TDN contents (9.6 and 50.4%, respectively). Cuts effected at 49 and 56 days provided good forage production with the best quality.
O trabalho foi conduzido por dois anos, comparando os rendimentos totais e o valor nutritivo do capim-elefante, variedade Uruckwami, produzido nos diversos cortes nas freqüências de 35, 42, 49, 56, 63, 70, 77 e 84 dias, durante o período de maior crescimento, de setembro a junho. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso, em esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições e parcelas de 17,5m2. A produtividade de matéria verde, matéria seca e proteína e os teores de fibra bruta e proteína, do primeiro ano, foram superiores aos do segundo ano (P 0,05), em todas as freqüências de corte. As freqüências de corte, no primeiro ano, afetaram significativamente (P 0,01) as produções e qualidade das forragens de modo linear, quadrático ou cúbico, conforme as variáveis estudadas. De um modo geral, com o aumento dos intervalos entre cortes houve aumento de produção e queda na qualidade da forragem. O maior período, o de 84 dias, apresentou as maiores produções no primeiro ano: 41,0t/ha de matéria seca e 4,1t/ha de proteína bruta e os teores mais baixos, 9,6% de proteína e 50,4% de NDT. Os cortes aos 49 e 56 dias aliaram quantidade com qualidade de forragem produzida.
Biblioteca responsável: BR68.1