Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Microbiological content of Apis mellifera honey (Hymenoptera: Apidae) from Ceará and Piauí States / Conteúdo microbiológico de méis de Apis mellifera (Hymenoptera: Apidae) dos Estados do Ceará e Piauí

da Silva Sodré, Geni; Carlos Marchini, Luís; Pires da Rosa, Vanessa; Carolina de Camargo Carmello Moreti, Augusta; Alfredo Lopes de Carvalho, Carlos.
B. Indústr. Anim.; 64(1): 39-42, 2007.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-467626

Resumo

The honey has special properties that inhibit or kill most microorganisms, although a few types of microorganisms can be persistent honey. Spores are present everywhere, it may even be found in honey in the hive and could come from primary sources such as pollen, honeybees digestive tracts air and nectar, cross-contamination and equipment. In northeast region of Brazil, despite the floral diversity and potential for apicultural exploration, few information exist on the honey microbiological content. The objective of this study was to analyse the microbiological content of 58 honey samples produced in two states of the northeastern region of Brazil: Piauí (38 samples) and Ceará (20 samples). The samples were collected by the beekeepers of each state and analyzed at the laboratory of Apiculture in the “Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz” (ESALQ) University of São Paulo, in Piracicaba, São Paulo State. The total coliforms was determined by using the most probable number (MPN). Moulds and yeast counts were done using surface spread technique (potato dextrose agar). All samples were 3,0nmp g-1 for total coliforms, 18 from the 20 samples (90%) of the Ceará State and 29 from 38 samples (76,3% of the total) of the Piauí State they were positive for molds and yeasts, better evidencing quality control of the product.
O mel tem propriedades especiais que inibem ou matam microrganismos, porém, alguns tipos de microorganismos podem persistir no mel. Esporos estão presentes em toda parte, eles podem, ser encontrados até mesmo em mel, na colméia podendo vir de fontes primárias como pólen, trato digestivo da abelha, ar e néctar, contaminação secundária e equipamento. Na região nordeste do Brasil, apesar da diversidade floral e potencial para exploração apícola, existem poucos informação sobre o conteúdo microbiológico do mel. O objetivo deste estudo foi analisar o conteúdo microbiológico de 58 amostras de méis produzidas em dois estados da região nordeste de Brasil: Piauí (38 amostras) e Ceará (20 amostras). As amostras foram coletadas diretamente de apicultores de cada estado e analisadas no Laboratório de Apicultura da “Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz” (ESALQ) Universidade de São Paulo, em Piracicaba, Estado de São Paulo. Os coliformes totais foram determinados usando o número mais provável (NMP). Bolores e leveduras a técnica de plaqueamento em superfície (agar batata dextrose). Todas as amostras foram 3,0nmp g-1 para coliformes totais, 18 das 20 amostras (90%) do Estado do Ceará e 29 das 38 amostras (76,3% do total) do Estado do Piauí foram positivas para bolores e leveduras, evidenciando melhor controle de qualidade do produto.
Biblioteca responsável: BR68.1