Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Retração hipertrófica da cartilagem endocondral das metàfises distais da ulna em dogue alemão / Retração hipertrófica da cartilagem endocondral das metàfises distais da ulna em dogue alemão

José Sturion, Domingos; Lúcia S. Hilst, Carmem; Passarella, Antonio; Mascarenhas, Nilva; Kamide, Roberto; Pirólo, Josmari.
Semina Ci. agr.; 6(1): 13-16, 1985.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-472028

Resumo

The authors report a case of hipertrophic retraction of the endochondral cartilage in both ulnar metaphysis in a Great Dane racing dog. The animal was examined radiographically when it was seven-month old and presented marked deformity in the forelimbs due to growth retraction of the distal ulnar physeal line and development of cone in the distal ulnar metaphysis, being more accentuated in the right forelimb. The radiolucent cone extended along the physeal lines from the metaphyseal region to the interior of the diaphysis. At 12 months of age, legs presented deformity and later at the age of 18 and 30 months they showed secundary alterations, such as: - apparent withdrawal of growth with ulnar shortening and bowing of the cranial radius.  
  Os autores relatam um caso de retração hipertrófica da cartilagem endocondral em ambas metáfises ulnar em cão da raça Dogue Alemão. O animal foi examinado radiologicamente aos sete meses e apresentou marcada deformidade nos membros anteriores devido à retração do crescimento da linha fisária distai ulnar e ó desenvolvimento de cone nas metáfises distais ulnares, sendo mais acentuado no membro anterior direito. O cone apresentava-se como uma faixa radioluscente extendendo dorsalmente com as linhas fisárias, através da região metafisária para o interior da diáfise. Aos 12 meses os membros apresentavam-se deformados, e, posteriormente, aos 18 e 30 meses mostravam alterações secundárias, tais como: retardamento aparente do crescimento com encurtamento ulnar e arqueamento cranial do rádio.    
Biblioteca responsável: BR68.1