Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Megaesophagus secondary to myasthenia gravis in a female German shepherd dog / Megaesôfago secundário a miastenia grave em uma cadela da raça Pastor Alemão

Franco Andrade, Silvia; Maria Barilli Nogueira, Rosa; Melchert, Alessandra; Patrícia Chegança da Silva, Maria; Pereira da Motta, Yudney; Batista Brinholi, Rejane; Alberto Tostes, Raimundo; Sanches, Osimar.
Semina Ci. agr.; 28(3): 477-482, 2007.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-472443

Resumo

Megaesophagus is a common cause of regurgitation being one of the possible etiologies the myasthenia gravis characterized by a neuromuscular disorder that result in weakness of the skeletal muscles, of the esophagus, of the larynx and of the pharynx. The present report describes a case of a female German shepherd dog, with report of muscles weakness and frequent vomits, which was diagnosed as a megaesophagus secondary to myasthenia gravis. The radiograph of the animal presented an accentuated cervical and thoracic megaesophagus. After the institution of the recommended therapeutic protocol the animal presented visible improvement when walking, however the regurgitations worsened and it began to present cough. New radiograph was accomplished with presence, besides megaesophagus, of aspiration pneumonia. The owner opted for the euthanasia of the animal and the necropsy revealed severe pneumonia and an accentuated dilation of the posterior portion of the esophagus, collaborating with subsidies for an unfavorable prognostic of the case.
Megaesôfago é uma causa comum de regurgitação sendo uma das possíveis etiologias a miastenia grave caracterizada por uma desordem neuromuscular que resulta em fraqueza dos músculos esqueléticos, do esôfago, da laringe e da faringe. O presente relato descreve um caso de uma cadela da raça Pastor Alemão, com histórico de fraqueza muscular e vômitos freqüentes, que foi diagnosticada como megaesôfago secundário à miastenia grave. A radiografia do animal apresentou um acentuado megaesôfago cervical e torácico. Após a instituição do protocolo terapêutico recomendado o animal apresentou melhora visível ao caminhar, porém as regurgitações pioraram e começou a apresentar tosse. Foi realizado novo exame radiográfico com presença, além de megaesôfago, de pneumonia aspirativa. A proprietária optou pela eutanásia do animal e a necropsia revelou severa pneumonia e dilatação acentuada da porção caudal do esôfago, caracterizando um megaesôfago de grande dimensão, colaborando com subsídios para um prognóstico desfavorável do caso.
Biblioteca responsável: BR68.1