Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Peritonite séptica secundária à deiscência de enterotomia em felino: relato de caso

Gutierrez de Gutierrez, Letícia; Van Der Laan Fonini, Alessandra; Reginatto dos Santos, Fabiane; Passos Bianchi, Simone; Larruscaim Dalmolin, Magnus; Danilo Helene Lemos dos Reis, Kauê; Mucillo, Marcelo.
Acta Sci. vet.; 402012.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-475570

Resumo

Introdução: A peritonite consiste em inflamação do peritônio, com classificação variável em relação à origem, ao grau de contaminação e à extensão (localizada ou difusa). A perda da integridade da parede intestinal corresponde à maioria dos casos de peritonite bacteriana nos cães e gatos. Geralmente, a apresentação é aguda em casos de peritonite séptica e crônica na peritonite não séptica. No caso de peritonite séptica, os sinais clínicos constam de desconforto abdominal, letargia, anorexia, perda de peso, vômito, diarréia, distensão abdominal, icterícia variável e colapso. O objetivo deste trabalho é relatar um caso de peritonite séptica secundária à enterotomia em felino.Caso: Um felino, fêmea, castrado, de aproximadamente um ano de idade, foi atendido no Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (HCV-UFRGS), com histórico de ter sido submetida à enterotomia em outro estabelecimento veterinário, devido à formação de fecaloma, uma semana prévia à consulta ao HCV-UFRGS. Os proprietários relataram que alguns dias após o procedimento o animal apresentou-se prostrado, anoréxico e constipado. No exame físico, apresentou dor aguda à palpação abdominal, além de abdômen distendido, dispnéia, mucosas hipocoradas, desidratação e temperatura retal de 39,4C. Os exames de sangue revelaram anemia leve (23%) normocrômica normocítica, leucopenia, hipoprot
Biblioteca responsável: BR68.1