Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Anafilaxia à doxorrubicina após três aplicações

Reginato Martins, Letícia; Bachinski Pozzer, Clarice; de Gaspari, Renata; Santos do Amaral, Anne.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-478755

Resumo

Introdução: O aumento da frequência de diagnósticos de neoplasias, associado à maior preocupação dos proprietários com as opções terapêuticas e a qualidade de vida de seus animais tem tornado a quimioterapia antineoplásica uma prática cada vez mais difundida na clínica de pequenos animais. Dos quimioterápicos utilizados, um dos mais indicados é a doxorrubicina, um antibiótico antracíclico citostático utilizado para tratamento de linfoma, osteossarcoma, hemangiossarcoma e uma variedade de carcinomas. A toxicidade mais comum é gastrintestinal, com vômito, diarreia e anorexia que ocorrem de três a cinco dias após a aplicação. A toxicidade miocárdica é bem conhecida e eventualmente são relatados episódios de arritmia durante a aplicação. Tem sido demonstrado que a doxorrubicina causa o aumento da liberação periférica de histamina, um efeito dose-relacionado e associado à infusão rápida. Os sinais clínicos da liberação de histamina são prurido, agitação da cabeça, urticária, eritema e vômito. Alguns oncologistas recomendam o uso de difenidramina antes da doxorrubicina, apesar da efi cácia não ser comprovada. No Serviço de Oncologia de Pequenos Animais do Hospital Veterinário Universitário (SOPA-HVU) o protocolo de uso da doxorrubicina inclui canulação venosa, infusão de solução de NaCl 0,9% e administração de doxorrubicina diluída a 0,5 mg/ml pelo infusor lateral do equipo, administ
Biblioteca responsável: BR68.1