Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Periostite metacarpiana dorsal: incidência e fatores pré-disponentes / Dorsal metacarpal disease: incidence and predisposing factors

Oliveira, Flávio Gomes de; Brass, Karin Erica; De La Corte, Flávio Desessards; Silva, José Henrique Souza da; Silva, Carlos Antonio Mondino.
Braz. j. vet. res. anim. sci; 43(2): 233-241, 2006. tab, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-5612

Resumo

Quarenta e dois potros Puro Sangue de Corrida, de 2 anos de idade, foram acompanhados clinicamente a cada 15 dias, durante o treinamento para sua primeira corrida, para determinar a incidência e possíveis fatores pré-disponentes da periostite metacarpiana dorsal. Durante dois meses no primeiro ano (n=25) e quatro meses (n=17) no segundo ano em que foi realizado o acompanhamento dos potros eles foram submetidos a exames físicos para a identificação de sinais clínicos de periostite metacarpiana dorsal. Dados como sexo, velocidade média, distância dos exercícios de velocidade e treinador foram tabulados. No primeiro ano 28% dos potros manifestaram periostite metacarpiana dorsal e no segundo ano este índice foi de 70,6%. Considerando-se todo o periodo de estudo a incidência foi de 45%. Não houve diferença entre os sexos na manifestação de periostite metacarpiana e velocidade média alcançada. A velocidade média desenvolvida pelos potros que permaneceram sadios e dos que apresentaram periostite metacarpiana se manteve entre 16 e 18 m/s. Nos 500 e 700m a velocidade média dos animais com periostite metacarpiana foi maior (p<0,05). A periostite metacarpiana se manifestou em 10 de 19 potros na distância de 700 m. Houve diferença na incidência de periostite metacarpiana e velocidade média atingida pelos potros de acordo com o treinador. Os potros treinados pelos treinadores que apresentaram maior incidência de periostite metacarpiana foram os mais rápidos. Portanto, fatores que favoreceram a manifestação de periostite metacarpiana foram velocidade média elevada sobre distâncias maiores como os 700m e regime de treinamento preconizado pelos diferentes treinadores.(AU)
Forty two 2-year-old thoroughbreds were examined clinically at intervals of 15 days during their training for the flrst race to determine the incidence and the predisposing factors of dorsal metacarpal disease. During the flrst year 25 horses were followed during 2 months and in the second year the follow up was done for 4 months in 17. Horses' data like gender, average speed, speed exercise work and trainer were also collected. Dorsal metacarpal disease was diagnosed in 28% and 70,6% of the 2 year-old thoroughbreds in the flrst and second year of the study, respectively. Total incidence was 45%. The incidence and average speed was not affected by gender. The average speed achieved by affected and none affected horses remained between 16 and 18m/ s. On 500 and 700m speed exercise, the average speed of affected horses was higher than of none affected ones (p<0,05). Ten out of 19 horses showed dorsal metacarpal disease signs at the distance of 700m. There was signiflcant difference between trainers regarding the incidence of dorsal metacarpal disease and average speed of their horses. 2-year-olds under care of trainers whose horses had the highest incidence o dorsal metacarpal disease also were the fastest one's. Therefore, fast speed associated with longer distances (700m) and trainer are factors that predispose young horses to dorsal metacarpal disease.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1