Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Práticas agrícolas de conseqüências genéticas que possibilitaram aos índios da Amazônia uma melhor adaptação às condições ecológicas da região

Estevam Kerr, Warwick; R. Clement, Charles.
Acta amaz.; 10(2)1980.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-683776

Resumo

Summary Cultivars of food plants actually found in Amazonia that are different from present days wild varieties have been selected by the indians in the last 10,000 years in South America and likely in the last 4,000 to 1,000 years by Amazonian tribes. This paper analyses 40 cultivars of manhioc of Desana and 13 of Tikuna. Surveys in 7 indian tribes reveal an average of 22 cultivars per tribe. Discussed are wild and selected (by the indians) "varieties" of several fruit trees: abiu Pouteria caimito), sapota (Matisia cordata), sapoti (Manilkara zapota), pupunha (Bactris gasipaes), pineapple (Ananas exculenta). Attention is given to some domesticated tuber plants (yam, sweet-potatoes, taro. leren) and to cupá (Cissus gongilodes); this last one, due to the small distribution may be one of the most recent domestications. It is suggested that the duck (Cairina moschata) domesticated itself in order to occupy the empty niche near the tribes.
Resumo Os cultivares de plantas, de valor alimentício, encontrados na Amazônia, diferentes da população selvagem encontrada nas matas, foram selecionados pelos índios nos últimos 10.000 anos, para a América do Sul inteira e, possivelmente, nos últimos 4000 a 1000 anos para as plantas domesticadas na Amazônia. Este trabalho analisa 40 cultivares de mandiocas e macaxeiras dos Desâna e 13 dos Tikúna. Contagens em 7 tribos revelaram uma média de 22 cultivares por tribo. Indica-se para as fruteiras: abiu, sapota, sapoti, pupunha, abacaxi, o tamanho e características das plantas selvagens e das selecionadas pelos índios. Mencionam-se, também, algumas tuberosas (cará, batata-doce, taioba, ariá, caroço-de-umari) domesticadas e o cupá (Cissus gongilodes); este último talvez seja uma das domesticações mais recentes. Sugere-se que o pato (Cairina moschata) se tenha autodomesticado, por meio de poucas mutações, com o que ocuparia um nicho ecológico vazio.
Biblioteca responsável: BR68.1