Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Investigação da ocorrência de reações adversas com uso de coleira impregnada por deltametrina a 4% em cães / Investigation of occurrence of adverse reactions with the use of collar impregnated by deltamethrin 4% in dogs

Tomiazzi, Jéssica Santos; Silva, Juliane Nunes; Santos, Tamiris Muniz dos; Ceresini, Talita Pereira; Silva, Gerônimo Rodrigo Xavier da; Andrade, Silvia Franco.
Colloq. agrar.; 12(1): 32-38, jan.-jun. 2016. ilus, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-687001

Resumo

A deltametrina é um inseticida do grupo dos piretróides tipo II muito utilizada como ectoparasiticida na veterinária em várias formas de aplicação tópica, como banho, spray, solução para aplicação no dorso e coleira. A coleira impregnada com deltametrina a 4% (CD4%), além de sua indicação contra carrapatos, tem sido recomendada também contra as picadas dos flebótomos transmissores da Leishmaniose. Alguns relatos têm sido descritos de ingestão e intoxicação, além de reações cutâneas com o uso da CD4%, porém, até o presente momento não há um estudo controlado sobre a possibilidade destes eventos em cães. O objetivo deste trabalho foi investigar em cães a ocorrência de reações adversas à CD4%. Foram utilizados 33 cães mantidos em baias coletivas do canil da UNOESTE, divididos em 3 grupos com 11 animais cada, sendo o grupo A de fêmeas adultas (utilização da coleira conforme a indicação do fabricante), grupo B de machos adultos (utilização da coleira não seguindo a indicação do fabricante) e grupo C de fêmeas jovens (utilização da coleira conforme a indicação do fabricante, porém com um período de adaptação). Os animais foram observados com relação às possíveis reações adversas ou alérgicas com preenchimento de ficha clínica e dermatológica diariamente durante 15 dias e depois três vezes por semana até completar 4 meses, tempo recomendado de permanência da coleira com eficácia pelo fabricante. Dos 33 cães, 39,4% (13) retiram a coleira, sendo 9 fêmeas (3 do grupo A e 6 do grupo C) e 4 machos (grupo B). Dos 13 animais que retiram a coleira, 18,2% ingeriram a mesma, 4 fêmeas (grupo C) e 2 machos (grupo B). Nenhum animal apresentou reação alérgica ou adversa à coleira, inclusive naqueles que ingeriram a mesma. Não houve a ocorrência de ectoparasitas durante o período de observação. [...](AU)
Deltamethrin is an insecticide of the group of type II pyrethroids widely used as the ectoparasiticide in various veterinary topical application forms, such as bath, spray solution for application on the back and collar. The impregnated with deltamethrin to 4% (CD4%) collar, and his statement against ticks, has also been recommended against the bites of sandflies transmission of leishmaniasis. Some reports have been described for ingestion and poisoning, and skin reactions with the use of CD4%, but so far there is not a controlled study on the possibility of these events study in dogs. The objective of this study was to investigate the occurrence of adverse reactions to CD4%. Thirty-three dogs kept in collective cages in the kennel UNOESTE, divided into 3 groups of 11 animals each, with group A of adult females (use the collar as indicated by the manufacturer), group B adult male (do not use the collar following the indication of manufacturer) and group C of young females (use the collar as indicated by the manufacturer, but with an adjustment period). The animals were observed with respect to possible adverse or allergic reactions to completion of clinical dermatology and record daily for 15 days and then three times a week until at least 4 months time recommended staying with the leash effectiveness by the manufacturer. Of the 33 dogs, 39.4% (13) remove the collar, 9 females (3 group A and group C 6) and 4 males (group B). Of the 13 animals that pull the collar, 18.2% ingested the same, 4 females (group C) and 2 males (group B). No animal showed adverse or allergic reaction to the collar, even in those who ate the same. There was no occurrence of ectoparasites during the period of observation. [...](AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1