Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Airborne fungi in an intensive care unit

L. Gonçalves, C.; V. Mota, F.; F. Ferreira, G.; F. Mendes, J.; C. Pereira, E.; H. Freitas, C.; N. Vieira, J.; P. Villarreal, J.; S. Nascente, P..
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-694491

Resumo

Abstract The presence of airborne fungi in Intensive Care Unit (ICUs) is associated with increased nosocomial infections. The aim of this study was the isolation and identification of airborne fungi presented in an ICU from the University Hospital of Pelotas RS, with the attempt to know the places environmental microbiota. 40 Petri plates with Sabouraud Dextrose Agar were exposed to an environment of an ICU, where samples were collected in strategic places during morning and afternoon periods for ten days. Seven fungi genera were identified: Penicillium spp. (15.18%), genus with the higher frequency, followed by Aspergillus spp., Cladosporium spp., Fusarium spp., Paecelomyces spp., Curvularia spp., Alternaria spp., Zygomycetes and sterile mycelium. The most predominant fungi genus were Aspergillus spp. (13.92%) in the morning and Cladosporium spp. (13.92%) in the afternoon. Due to their involvement in different diseases, the identified fungi genera can be classified as potential pathogens of inpatients. These results reinforce the need of monitoring the environmental microorganisms with high frequency and efficiently in health institutions.
Resumo A presença de fungos anemófilos nas UTIs está associada com o aumento de infecções nosocomiais. O objetivo deste estudo foi isolar e identificar quais os principais fungos anemófilos presentes em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um Hospital Universitário de Pelotas RS, na tentativa de conhecer a microbiota ambiental do local. Através de 40 placas de Petri com Agar Sabouraud dextrose expostas no ambiente de UTI foram coletadas amostras por exposição em locais estratégicos durante períodos da manhã e tarde por dez dias. Sete gêneros fúngicos foram identificados: Penicillium spp. (15,18%), o gênero de maior frequência, seguido de Aspergillus spp., Cladosporium spp., Fusarium spp., Paecelomyces spp., Curvularia spp., Alternaria spp., além de Zigomicetos e micélios estéreis. Houve predomínio de Aspergillus spp. (13,92%) pela manhã e Cladosporium spp. (13,92%) a tarde. Por estarem envolvidos em diferentes enfermidades, os gêneros identificados podem ser classificados como patógenos em potencial aos pacientes internados. Estes resultados reforçam a necessidade de um monitoramento dos micro-organismos ambientais com maior freqüência e eficiência nas instituições de saúde.
Biblioteca responsável: BR68.1