Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

PUERPÉRIO DA VACA PELA ULTRA-SONOGRAFIA

Walter dos Santos, Ivo; Pereira Neves, Jairo.
Ci. Rural; 24(3)1994.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-702991

Resumo

The aim of this study was to investigate uterus involution and ovarian activity by ultrasonography. The puerperium of fifteen charolais cows was observed from the 8th to 40th day, with interval of 3 days. A Pie Medicai Inc. Scanner Mod. 450 with a 5MHz linear array transducer and a printer were used for ecographic purposes. The uterus complete involution, was detected on the 28.12±1.55 days in the cows with normal parturition and on the 32.57±1.13 days in the cows with dystocia and the lochia was not visualized on the 18.87±1.12 days and 25.28±1.13 day respectively postpartum. The puerperium period was tested by linear and quadratic regression. A high significance was observed, between normal and dystocic parturition on the uterino horn involution (p 0.0001) and the cérvix (p 0.01). On the 10th day, great follicles was detected and on the 13th day ovulation was observed without estrous manifestation. The correct monitoration of uterus involution, as well as the lochia and resumption of ovarian function, during the puerperium, is feasible through ultrasonography.
Para caracterização Geográfica da involução uterina e reinício da atividade ovariana, o puerpério de 15 vacas da raça charolesa foi acompanhado pela ultra-sonografia a partir do 8° dia, com intervalo de 3 dias, até o 40° dia pós-parto. Utilizou-se um aparelho de ultra-som Pie Medical Inc., mod. 450 com transdutor de 5MHz, arranjo linear e uma impressora. A involução completa do útero foi detectada aos 28,12±1,55 dias nas vacas com parto eutócico e aos 32,57±1,13 dias nas vacas com parto distócico, e o conteúdo uterino não foi mais visualizado aos 18,87±1,12 dias e 25,28±1,38 dias, respectivamente, após o parto. O curso do puerpério foi testado por regressão linear e quadrática, quando observou-se uma diferença altamente significativa entre partos eutócico e distócico, na involução dos cornos uterinos (p 0,0001) e do cérvix (p 0,01). No 10° dia foram detectados folículos grandes nos ovários e no 13° dia pós-parto, já ocorreu ovulação, porém, sem manifestação estral. O monitoramento da involução uterina e do conteúdo uterino durante o puerpério, assim como do reinício da atividade ovariana é viável através da ultra-sonografia.
Biblioteca responsável: BR68.1