Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Levomepromazina e atropina como medicações pré-anestésicas na anestesia pela associação tiletamina/zolazepam, em cães

Gonzaga Pompermayer, Luiz; Massone, Flávio; Nunes, Newton; Pirolo, Josmari.
Ci. Rural; 28(1)1998.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-703332

Resumo

The aim of this study was to investigate the effect of levomepromazine and atropine sulfate as a premedication to the dissociative anesthesia produced by a tiletamine/zolazepam combination. Ten dogs were randomly assigned to each of the three groups: control, atropine and levomepromazine. Fifteen minutes before tiletamine/zolazepam, the dogs were treated either with atropine sulfate (0.044mg/kg, subcutaneously) or levomepromazine (1.0mg/kg, intravenously), and the control group with saline (0.2ml/kg, intravenously). The tiletamine/zolazepam combination (10mg/kg) was administered intramuscularly to all dogs of the three groups. ECG, temperature, respiratory rate, tidal volume, minute volume, heart rate, arterial blood pressure, arterial blood-gases, degree of analgesia, skeletal muscle relaxation, ocular, pharyngeal and interdigital reflexes were measured before and 15 minutes after premedication and at 15, 30, 60 and 105 minutes afier tiletamine/zolazepam administration. In addition. the amount of salivary secretion, duration of induction, surgical anesthesia and recovery, were also evaluated. The results suggested that atropine should not be used as premedication in combination with tiletamine/zolazepam due its synergic effect on the tachycardia. Levomepromazine reduced the amount of salivary flow, produced minimal changes in the cardiorespiratory variables and potentiated the anesthesia with tiletamine/zolazepam.
O objetivo desta pesquisa foi avaliar o emprego da atropina e da levomepromazina como medicações pré-anestésicas para a anestesia pela associação tiletamina/zolazepam. Foram empregados 30 cães, distribuídos em três grupos iguais. O grupo 1 (controle) foi tratado com 0,2 ml/kg de solução fisiológica (placebo) por via intravenosa; o grupo 2 com 0,044mg/kg de sulfato de atropina por via subcutânea e o grupo 3 com 1mg/kg de cloridrato de levomepromazina por via intravenosa. Quinze minutos após, todos os grupos receberam a associação tiletamina/zolazepam na dose de 10mg/kg por via intramuscular. Antes da medicação pré-anestésica, 15 minutos após a mesma e aos 15, 30, 60 e 105 minutos após a administração da associação tiletamina/zolazepam foram registrados: ECG, temperatura, freqüência respiratória, volume corrente, volume minuto, freqüência cardíaca, pressão arterial, valores hemogasométricos arteriais, graus de analgesia e miorrelaxamento e reflexos protetores. Outros dados como: secreção salivar, período de latência, período anestésico hábil e período de recuperação foram igualmente mensurados para efeito comparativo. De acordo com os resultados obtidos concluiu-se que o sulfato de atropina não deve ser administrado como medicação pré-anestésica, por potencializar a taquicardia induzida pela associação tiletamina/zolazepam. A levomepromazina, além de inibir a sialorréia, mantém a estabilidade cardiorrespiratória e apresenta ação potencializadora dos efeitos anestésicos da associação.
Biblioteca responsável: BR68.1