Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Densitometria óptica radiográfica na avaliação do hiperparatireoidismo secundário nutricional induzido em gatos jovens

Canevese Rahal, Sheila; Carolina Mortari, Ana; Hasegawa Gonçalves Caporali, Evelyn; Carlos Vulcano, Luiz; Augusto Marques dos Santos, Flávio; Kiomi Takahira, Regina; José Crocci, Adalberto.
Ci. Rural; 32(3)2002.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-703997

Resumo

The aim of this study was to evaluate the modification of bone mineral density, as well as the serum biochemistry variation in the nutritional secondary hyperparathyroidism. Ten crossbreed cats, initial aging between 2 and 3 months, and weighing 820 grams were used. After 10 days of adaptation, they were fed with raw beef heart for 60 days. At the end of adaptation time and every 15 days, exams were realized. The method of optical densitometry in radiographic images of the right radius and ulna was used. There was no statistical difference in the bone mineral densitometry between the end of adaptation period and with 15 days of consuming a diet of beef heart. At 30 days the bone density decreased statistically, and it was in the same level at 45 and 60 days. There was no statistical difference in the serum calcium and phosphorus concentrations in all observation time. Serum alkaline phosphatase concentration varied and it was increased above normal variation in the 45th and 60th day of the diet. It was possible to conclude that bone densitometry in radiographic images is an efficient method to evaluate bone demineralization, and calcium, phosphorus and alkaline phosphatase serum biochemistry analysis are limited value.
O trabalho teve por objetivos verificar as alterações da densidade mineral óssea e as alterações bioquímicas, no hiperparatireoidismo secundário nutricional. Foram utilizados 10 gatos, sem raça definida, com idade inicial entre 2 e 3 meses e peso médio de 820 gramas. Após um período de adaptação de 10 dias, eles foram submetidos a uma dieta composta por coração bovino moído e cru durante 60 dias, sendo os exames efetuados no final do período de adaptação e a cada 15 dias. Empregou-se o método de densitometria óptica em imagens radiográficas, do rádio e ulna direitos. Não foi observada diferença estatística na densidade mineral óssea entre o final do período de adaptação e com 15 dias de alimentação com carne de coração. Aos 30 dias, houve uma diminuição significante estatisticamente, que se manteve no mesmo patamar aos 45 e 60 dias. Em nenhum momento de observação ocorreu diferença estatística nos níveis séricos de cálcio e fósforo. Os níveis séricos de fosfatase alcalina variaram e estavam acima dos valores normais no 45º e 60º dia da dieta. Foi possível concluir que a densitometria óptica em imagens radiográficas é um método eficiente de avaliação da desmineralização óssea, ao passo que as análises bioquímicas séricas de cálcio, fósforo e fosfatase alcalina são de valor limitado.
Biblioteca responsável: BR68.1