Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Diferentes papéis do óxido nítrico com ênfase nas neoplasias

Tinucci Costa, Mirela; de Cássia Fabeni, Rita; Preissing Aptekmann, Karina; Racarias Machado, Rosângela.
Ci. Rural; 33(5)2003.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-704255

Resumo

Nitric Oxide (NO) is generated by a family of isoenzymes, through the enzymatic catalisis of the aminoacid L-arginine, which leads to the production of L-citruline and NO. It is involved in many physiologic processes of mammals, including neurotransmition, blood pressure control, inflammation, immune responses and also in the mechanism of defense against invasive organisms and tumors. The uncontrolled syntesis of NO is thought to take part in the pathogenesis of cardiovascular diseases, auto-immunity, graft rejection, degenerative diseases, as well as in sepsis, genotoxicity and also in neoplasia development. The NO is also considered the initial agent of carcinogenesis, which could lead to uncontrolled cytostasis and cellular differentiation when associated to other factors. The diversity of NO effects seems to be related to the concentration that is generated, to the individual sensibility of cells and the duration of this phenomenon.
O Óxido Nítrico (ON) é gerado por uma família de isoenzimas, através da catálise enzimática do aminoácido essencial L-arginina, que resulta na formação de L-citrulina e ON. O ON está envolvido em muitos processos fisiológicos dos mamíferos, que incluem a neurotransmissão, controle da pressão sangüínea, inflamação, reações imunológicas e nos mecanismos de defesa contra microorganisnos e tumores. O descontrole na síntese de ON está implicado na patogênese de doenças cardiovasculares, autoimunidade, rejeição de transplantes, doenças degenerativas, na sépsis, na genotoxicidade e no surgimento de neoplasias. O ON também foi incriminado como agente de iniciação da carcinogênese, que, associado a outros fatores, poderia levar ao descontrole da citoestase e da diferenciação celular. A diversidade de efeitos do ON parece estar relacionada às concentrações de ON gerados, à sensibilidade individual das células e à duração do fenômeno.
Biblioteca responsável: BR68.1