Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Anemia hemolítica imunomediada não regenerativa em um cão

Pinto Brandão, Leonardo; Habu Ikesaki, Júlia; Ive Miyashiro, Samantha; Luisa Franchini, Maria; Kuribayashi Hagiwara, Mitika.
Ci. Rural; 34(2)2004.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-704374

Resumo

Nonregenerative forms of immune-mediated hemolytic anemia has been describe in dogs and are attributed to bone marrow diseases or immune-mediated destruction of erythroid progenitors. A 3-year-old, male mongrel dog was received at the Veterinary Hospital of the Faculdade of Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (USP), Brazil showing signs of acute hemolytic anemia without erythroregeneration. After immunosuppressive therapy (prednisone) the hemolysis was suppressed but the dog didnt show hematologic signs of erythroid response. On the 10th day after treatment a bone marrow aspiration was performed and signs of hypoplasia and mild erythroid cell dysplasia were the main features observed, which could exclude the suspicious of marrow aplasia. After the addiction of cyclophosphamide and azathioprine to the treatment, erythroid response could be observed. This report of a nonregenerative immune-mediated anemia in a dog is an alert for the existence of this disease and shows the strong indication to perform a bone marrow aspiration to diagnose the nonregenerative forms of anemia.
Quadros hemolíticos não eritrorregenerativos são descritos em cães e podem ser decorrentes de doença medular primária, bem como, da destruição dos precursores eritróides medulares por imunoglobulinas. Um cão macho, de três anos de idade, sem raça definida, foi atendido no Hospital Veterinário da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo apresentando sinais de anemia hemolítica aguda arregenerativa. Após a instituição de terapia imunossupressora (prednisona), houve remissão da hemólise sem, no entanto, sinais de eritrorregeneração. No décimo dia de tratamento, o mielograma demonstrou discreta hipoplasia e displasia eritróide, descartando a possibilidade de aplasia medular. Associou-se ciclofosfamida e azatioprina ao tratamento, tendo havido resposta eritrorregenerativa e recuperação dos valores hematológicos. A ocorrência deste caso de anemia hemolítica não eritrorregenerativa deve servir como alerta para a ocorrência desta condição mórbida, como também, da importância da utilização do mielograma como método auxiliar no diagnóstico de anemias arregenerativas.
Biblioteca responsável: BR68.1