Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Influência do dimorfismo sexual sobre a morfologia da siringe de galinha d'angola (Numida meleagris)

Bottino, Flávia; Martinez Baraldi Artoni, Silvana; Oliveira, Daniela; Sobue Franzo, Vanessa; Rita Pacheco, Maria; Marcos Orsi, Antonio; Amoroso, Lizandra.
Ci. Rural; 36(5)2006.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-705088

Resumo

This study was aimed at making a morphologic and comparative description of the syrinx, the organ that is responsable for the song of the birds in the species Numida meleagris. For that, five males and five females of guinea fowl were used in order to verify the sintopy (trachea, tracheal muscles) and the sexual dimorphism of the syrinx. It was verified that the syrinx is located in the bifurcation of the trachea and it presents larger number of cartilages in the males. The tracheal muscles attaches or origins more caudally in males and both are larger in relation to the females. The existent differences between males and females of Numida meleagris show the high capacity of females in producing sounds how "to fraco" while males emit coo and cackles.
Este estudo teve como objetivo realizar uma descrição morfológica e comparativa da siringe, órgão responsável pelo canto das aves, na espécie Numida meleagris. Para isso foram utilizados cinco machos e cinco fêmeas de galinha d'angola, a fim de verificar a sintopia (traquéia, músculos traqueais) e o dimorfismo sexual da siringe. Verificou-se que a siringe se localiza na bifurcação da traquéia e apresenta maior número de cartilagens nos machos. Nos machos, a inserção do músculo traqueal lateral bem como a origem do músculo esterno traqueal localizam-se mais caudalmente e são mais largos em relação às fêmeas. As diferenças existentes entre machos e fêmeas de galinha d'angola revelam a elevada capacidade das fêmeas em produzir sons semelhantes a "tô fraco" enquanto que os machos emitem arrulhos e cacarejos.
Biblioteca responsável: BR68.1