Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Concentrações séricas de proteína total, albumina e gamaglobulinas em gatos infectados pelo vírus da imunodeficiência felina

Manetti Armentano Rodrigues, Angela; de Souza Zanutto, Marcelo; Kuribayashi Hagiwara, Mitika.
Ci. Rural; 37(1)2007.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-705203

Resumo

Feline immunodeficiency virus (FIV) infection is known as a lifelong infection of cats. The acute phase corresponds to the period of viral replication in the host organism, followed by a period of lower replication when the animal is asymptomatic. Some years later, at the final stage, an immunodeficiency syndrome subsides. Hypergammaglobulinemia or a polyclonal gammapathy might be seen in some, but not all affected cats, mainly in the chronic phase of infection. This is thought to be due to a disturbance of cytokines production as a result of T CD4 + cells infection. Nonetheless, little is known regarding serum protein, specifically, gammaglobulin concentration in the early phase of FIV infection. Aiming at clarifing this, serum protein concentrations were determined before and 4, 8 and 12 months after FIV infection of ten domestic short-haired, male or female, 7 months old cats (group I). Ten cats of same age were maintained as controls (group II). All cats were FIV-naive cats, as confirmed by ELISA test. After infection, both, ELISA and PCR became positive only for the cats belonging to the group I. Serum protein concentration was measured by biuret method and protein fractions were obtained by electrophoresis on cellulose acetate strips. An increase in the gammaglobulin concentration (2.01 ± 0.27g/dL, P 0.0001) could be observed 4 months p.i. in the group I. Twelve months after infection, no differences could be found on protein concentrations between both groups of cats.
A infecção pelo vírus da imunodeficiência dos felinos (VIF) apresenta um curso prolongado, caracterizado por uma fase aguda, em que ocorre a replicação viral no organismo hospedeiro, seguida de um período de menor replicação, no qual o animal é praticamente assintomático. Anos depois, no estádio final da infecção, desenvolve-se a síndrome da imunodeficiência dos felinos. Alguns animais infectados podem desenvolver hipergamaglobulinemia do tipo policlonal, principalmente na fase crônica ou final da infecção. Este fato tem sido atribuído a um distúrbio na produção de citocinas, causado pela infecção viral de linfócitos T CD4+. Não obstante, pouco se sabe a respeito das concentrações de proteínas séricas, especificamente gamaglobulinas, na fase aguda da infecção pelo VIF. Objetivando esclarecer isto, procedeu-se à determinação das proteínas séricas de dez felinos, SRD de ambos os sexos, infectados aos 7 meses de idade com o VIF (clade B), antes da infecção e 4, 8 e 12 meses após. A infecção pelo VIF foi confirmada pela soroconversão, com a presença de anticorpos específicos, pesquisados por meio da técnica de imunoadsorção enzimática (ELISA) e pela demonstração de material genético do vírus (PCR). Outros dez felinos VIF-, da mesma faixa etária foram mantidos como controle. Previamente à infecção experimental, todos os felinos eram negativos ao VIF, fato comprovado pela ausência de anticorpos específicos. A proteína sérica total foi determinada pelo método do buireto e as frações protéicas foram obtidas por eletroforese em tiras de acetato de celulose lidas por densitometria. Verificou-se aumento de gamaglobulinas (2,01 ±0,27g dL-1, P 0,0001) quatro meses após a infecção nos animais infectados. Doze meses após a infecção, não foram observadas diferenças nas concentrações das frações protéicas entre os felinos infectados e os controles.
Biblioteca responsável: BR68.1