Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Susbtituição do ligamento cruzado cranial por segmento teno-ósseo homólogo conservado em glicerina a 98%: estudo experimental em cães

Zanini Salbego, Fabiano; Gaspar Raiser, Alceu; Mazzanti, Alexandre; Luiz Pippi, Ney; Lurhs Graça, Dominguita; Figueiredo de Souza, Soraia; Pelizzari, Charles; Festugatto, Rafael; Vilibaldo Beckmann, Diego; Bernardi de Souza, Lucilene; Mori da Cunha, Marina; Paula da Silva, Ana; Passos dos Santos, Rosmarini.
Ci. Rural; 37(2)2007.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-705251

Resumo

In the present study, homologue bone-tendon implants conserved in 98% glycerin were used in the restoration of the cranial cruciate ligament in 24 adult dogs weighing between 15 and 30 kg. The implants were placed in a stratified layer prepared in the femur and the tibia and anchored with polyester filament fastened to the distal and proximal extremities of these bones, respectively. The knee joint was immobilized for a period of 30 days. The animals were distributed into two groups for radiographic, macroscopic and histological evaluation of the implant at 60 days after the operation for group B and at 90 days for group A. There was no evidence in any of the dogs of fragility of the implant, nor radiographic or macroscopic evidence of joint degeneration up to 90 days post-operative.
Na presente pesquisa, foram utilizados implantes teno-ósseos homólogos conservados em glicerina a 98%, na reparação do ligamento cruzado cranial, em 24 cães adultos pesando entre 15 e 30kg. Os implantes foram passados por um leito receptor preparado no fêmur e outro na tíbia e ancorados por meio de fios de poliéster em parafusos fixados respectivamente nas extremidades distal e proximal desses ossos. A articulação do joelho foi imobilizada por um período de 30 dias. Os animais foram distribuídos em dois grupos para as avaliações radiográfica, macroscópica e histológica do implante aos 60 dias (grupo B) e aos 90 dias (grupo A) de evolução pós-operatória. Em nenhum dos cães, houve evidência de fragilização do implante ou evidência radiográfica ou macroscópica de degeneração articular até os 90 dias de pós-operatório.
Biblioteca responsável: BR68.1