Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Metodologia para detecção de infecções latentes de Monilinia fructicola em frutas de caroço

Martins Moreira, Luciene; Larissa May-De Mio, Louise.
Ci. Rural; 37(3)2007.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-705286

Resumo

The brown rot fungus Monilinia fructicola is economically the most important pathogen for stone fruit trees. The fungus infects since blossoming and may remain latent in the fruits and manifest symptoms during harvest and postharvest. The present study aimed at evaluating methodologies to detect latent infections in developing fruits for different cultivars of stone fruit trees. Eight cultivars of stone fruit trees were chosen in order to evaluate latent infections of M. fructicola. For that purpose, 30 fruits of each cultivar were collected and separated into two batches of 15 fruits. One of them was subject to immersion for two minutes in a sequence of ethanol solution 70%, later, sodium hypochlorite 2%, and finally washed in sterilized water. The treatment for the second batch of fruits was similar to the first one, adding paraquat solution 2% (paraquat - 200g L-1, Gramocil-SC) after the hypochlorite. After the treatments, the fruits were laid in humid chamber in plastic packages containing humid filter paper at room temperature. The evaluation of the incidence of the disease was carried out every 48 hours for 10 days. The latent infections were detected in the majority of the cultivars evaluated with the two methods, mainly in the fruits closer to maturation. The treatment in which herbicide was used increased the detection of brown rot in the plum cultivars Reubennel and Harry Pickstone. For the peaches in cultivar BR-3, the two methods favored the detection; however, in the cultivars Chimarrita and Vila Nova there was higher detection of latent infection when paraquat was not utilized.
O fungo Monilinia fructicola, causador da podridão parda, é o patógeno mais importante economicamente para as fruteiras de caroço. O fungo infecta desde a fase de floração, podendo ficar latente nos frutos e manifestar sintomas durante a colheita e pós-colheita. O presente trabalho objetivou avaliar metodologias para detectar infecções latentes em frutos em desenvolvimento para diferentes cultivares de fruteiras de caroço. Foram escolhidas oito cultivares de fruteiras de caroço para avaliar infecções latentes de M. fructicola. Para tanto, coletaram-se 30 frutos de cada cultivar, separando-os em dois lotes de 15 frutos, sendo um deles submetido à imersão, por dois minutos, em solução de etanol 70%, posteriormente em hipoclorito de sódio 2%, e finalmente lavados em água esterilizada. O tratamento para o segundo lote de frutos foi semelhante ao anterior, acrescido de solução de paraquat 2% (paraquat - 200g L-1, Gramocil- SC) após o hipoclorito. Após os tratamentos, os frutos foram postos em câmara úmida em embalagens plásticas contendo papel de filtro umedecido, à temperatura ambiente. A avaliação da incidência da doença foi feita a cada 48 horas por um período de 10 dias. As infecções latentes foram detectadas na maioria das cultivares avaliadas com os dois métodos, sendo que, nos frutos próximo à maturação, estas surgiram com maior freqüência. O tratamento em que se usou o herbicida aumentou a detecção da podridão parda nas cultivares de ameixa Reubennel e Harry Pickstone. Para os pêssegos, na cultivar "BR-3", os dois métodos favoreceram a detecção, porém, nas cultivares "Chimarrita" e "Vila Nova", quando não se utilizou o paraquat, houve maior detecção das infecções latentes.
Biblioteca responsável: BR68.1