Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Teste de biocompatibilidade e resistência de membranas de látex em cães

Zimmermann, Marina; Gaspar Raiser, Alceu; Laetícia da Trindade Barbosa, Anna; Novosad, Deisi; Pamela Barrachi Steffen, Renata; Lukarsewsk, Rafael; Soares da Silva, Marcelo; Lindinger, Renato; Pastore Júnior, Floriano.
Ci. Rural; 37(6)2007.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-705471

Resumo

The natural latex extracted of the Rubber Tree, has properties to induce characteristics of tissue vascularization and regeneration that had been comproved in different species and tissues. This study tested the biocompatibility of three latex membranes in six dogs. Two of these membranes have not been used yet, while one of them has been tested in previous studies. Membranes were implanted between the cutaneous and the rectum of the abdomen muscles by a surgical procedure. In a forty five days period, the animals were evaluated for pain, clinical and macroscopic alterations of the membranes and, after the membranes were removed in order to submit them to histological exams. Mechanical traction tests were realized in control membranes to measure deformation and resistance. The results indicated that membranes are compatible, and able to substitute the muscular sheath in dogs, excepting membrane 2, because of it rejecting characteristics.
O látex natural extraído da seringueira (Hevea brasiliensis) possui propriedades indutoras de neovascularização e regeneração tecidual, comprovadas em várias espécies e em diferentes tecidos do organismo. Este estudo testou a biocompatibilidade e a resistência de três membranas de látex em seis cadelas, sendo duas dessas membranas ainda não utilizadas e uma já testada em estudos prévios. Os implantes foram colocados entre os músculos cutâneo e reto do abdome através de procedimento cirúrgico e, após 45 dias, foram removidos e submetidos a exames histológicos. Durante esse período, os animais foram avaliados quanto à dor e às alterações clínicas e macroscópicas nas membranas. Testes mecânicos de tração para determinação de deformação e resistência foram efetuados em amostras-controle. Pelos resultados obtidos, concluiu-se que as membranas testadas são compatíveis para substituir a bainha muscular em cães, exceto a membrana 2, por apresentar características de rejeição.
Biblioteca responsável: BR68.1