Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Anestesia do pirarucu por aspersão direta nas brânquias do eugenol em solução aquosa

Honczaryk, Alexandre; Antonio Kioshi Aoki Inoue, Luís.
Ci. Rural; 39(2)2009.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-705764

Resumo

Pirarucu (Arapaima gigas) is an important species to commercial fish farming in Amazon. It achieves more than 2m and 100kg. However, fish handling may be risky to workers. Anesthesia is necessary, but usual anesthetic baths are not feasible due to the size of fish and the pulmonary respiration of Pirarucu. This fish may die drowned in anesthetic baths. This research evaluated the alternative anesthetic eugenol to pirarucu by sprays in the gills. Solution in concentration of 30mg L-1 was sprinkled in the gills of three fish, and 60mg L-1 was sprinkled in the gills of two other fish. Eugenol sprays provided safe anesthesia for pirarucu. No mortality was observed even one month after the experiment.
O pirarucu (Arapaima gigas) é um peixe que vem ganhando importância cada vez maior na piscicultura comercial na Amazônia. No entanto, por ser um animal de grande porte, no campo, é comum o relato de acidentes envolvendo pancadas violentas em técnicos durante o manejo. Desse modo, é imperativa a anestesia desses animais. Todavia, para a espécie em discussão, a realização de banhos anestésicos, muitas vezes, não é possível devido ao tamanho do animal e ao risco de afogamento do peixe pulmonado. O presente trabalho avaliou de maneira prática a viabilidade do eugenol como anestésico para o pirarucu por aspersão direta nas brânquias. Para tanto, três animais jovens foram submetidos à aspersão de eugenol nas brânquias em concentração de 30mg L-1 e dois na concentração de 60mg L-1. O eugenol borrifado nas brânquias mostrou-se viável como anestésico para o pirarucu, não sendo observada a mortalidade de animais mesmo um mês após os testes.
Biblioteca responsável: BR68.1