Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Relações interespecíficas entre parasitoides nativos de moscas-das-frutas e o braconídeo exótico Diachasmimorpha longicaudata em frutos de 'umbu-cajá'

Vidal Bomfim, Zuzinaide; da Silva Carvalho, Romulo; Alfredo Lopes de Carvalho, Carlos.
Ci. Rural; 40(1)2010.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-706427

Resumo

Wasps parasitoid species (Hymenoptera: Braconidae) are fruit flies (Diptera: Tephritidae) biological control important agents. This study aimed to know the effects of the release and interspecific competitive relationships of the exotic parasitoid Diachasmimorpha longicaudata Ashmead (Hymenoptera: Braconidae) on the native parasitoid complex of fruit flies in Spondias spp. in the region of Recôncavo Baiano. From April to July of 2006, 8.955 fruits (192.93kg) were collected before and after (24 and 48 hours) release of 9.600 females of D. longicaudata. Exactly 8.724 Tephritidae pupae were obtained, of which 3.963 Anastrepha obliqua (Macquart) adults and 1.115 parasitoids of Braconidae family emerged. Three species of opiinae were identified before releasing. The higher relative frequency was of Doryctobracon areolatus (Szépligeti), followed by Asobara Anastrephae (Muesebeck) and Utetes Anastrephae (Viereck). 24 and 48 hours after release the exotic parasitoid D. longicaudata on the field, the parasitism rate increased from 15.86% to 20.42% and 45.19%, respectively. It was found that the release of exotic species D. longicaudata has no negative effects on the occurrence of native parasitoids and helps to complement the natural biological control of A. obliqua in fruits of 'umbu-cajá' conditions of this study.
Espécies de vespas parasitoides (Hymenoptera: Braconidae) são importantes agentes de controle biológico de moscas-das-frutas (Diptera: Tephritidae). Este trabalho teve por objetivo conhecer os efeitos da liberação e as relações de competitividade interespecífica do parasitoide exótico Diachasmimorpha longicaudata Ashmead sobre o complexo de parasitoides nativos de moscas-das-frutas associado a frutos de 'umbu-cajá' (Spondias spp.) na região do Recôncavo Baiano. Entre os meses de abril e julho de 2006, 8.955 frutos (192,93kg) foram coletados antes e após (24 e 48 horas) a liberação de 9.600 fêmeas de D. longicaudata em campo. Obteve-se um total de 8.724 pupários de Tephritidae, dos quais emergiram 3.963 adultos de Anastrepha obliqua (Macquart) e 1.115 parasitoides. A maior frequência relativa foi de Doryctobracon areolatus (Szépligeti), seguida por Asobara Anastrephae (Muesebeck) e Utetes Anastrephae (Viereck). Após 24 e 48 horas da liberação do parasitoide exótico D. longicaudata em campo, constatou-se que o índice de parasitismo total aumentou de 15,86 para 20,4 e 45,19%, respectivamente. Assim, observou-se que a liberação da espécie exótica D. longicaudata não apresenta efeitos negativos na ocorrência dos parasitoides nativos e contribui para complementar o controle biológico natural de A. obliqua em frutos de 'umbu-cajá', nas condições deste estudo.
Biblioteca responsável: BR68.1