Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Ingestão de matéria seca por novilhas de corte em pastagem de milheto

Baptaglin Montagner, Denise; Gomes da Rocha, Marta; Cristina Moraes Genro, Teresa; Bremm, Carolina; Teixeira dos Santos, Davi; Roman, Juliano; Roso, Dalton.
Ci. Rural; 41(4)2011.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-707226

Resumo

It was evaluate the dry matter (DM) herbage intake by beef heifers and the bite mass on a Pearl Millet (Pennisetum americanun (L.) Leeke) pasture. The experimental design was completely randomized with repeated measures in time, two leaf blade mass (600 and 1,000kg ha-1 of DM), which were maintained by continuous stocking with variable stocking rate, and three replicate areas. The herbage intake was evaluated using chromic oxide (Cr2O3) as a faecal production indicator and the acid detergent indigestible fiber as an internal indicator. The qualitative parameters evaluated in the forage were the neutral detergent fiber, in vitro organic mater digestibility and the crude protein content. The heavier bites were achieved in a Pearl Millet pasture managed with 1,000kg ha-1 of leaf blade dry matter (DM) even though the steers have eaten the same dry matter amount, 1.8% of live weight, in the two leaf blade mass. The Pearl Millet pasture managed with leaf blade herbage mass of 600 or 1,000kg ha-1 of DM provides to the grazing animals similar opportunity of herbage intake.
Em pastagem de milheto (Pennisetum americanun (L.) Leeke), foram avaliadas a ingestão de matéria seca (MS) da forragem por novilhas de corte e a massa de bocado. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado com medidas repetidas no tempo, com dois tratamentos de massas de lâmina foliar (600 e 1.000kg ha-1 de MS), mantidos por lotação contínua e com ajuste de carga, e três repetições de área. A ingestão de matéria seca foi estimada por meio do uso de óxido de cromo (Cr2O3) como indicador da produção fecal e da fibra em detergente ácido indigestível como indicador interno. Os parâmetros qualitativos avaliados na forragem foram a fibra em detergente neutro, a digestibilidade in vitro da matéria orgânica e o teor de proteína bruta. Bocados mais pesados foram observados quando o milheto foi manejado com 1.000kg ha-1 de MS de lâminas foliares, mesmo que as novilhas tenham ingerido a mesma quantidade de matéria seca, 1,8% do peso corporal, nas duas massas de lâminas foliares. A pastagem de milheto manejada com massas de lâminas foliares de 600 ou 1.000kg ha-1 de MS proporciona aos animais em pastejo oportunidade semelhante de consumo de forragem.
Biblioteca responsável: BR68.1