Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Mananoligossacarídeos em dietas para frangos de corte

André Arruda Barbosa, Nei; Kazue Sakomura, Nilva; Orlando Oviedo-Rondón, Edgar; Aparecida Bonato, Melina; Mayumi Kawauchi, Iris; Luiz Dari, Ronnie; Batista Kochenborger Fernandes, João.
Ci. Rural; 41(12)2011.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-707466

Resumo

This study aimed to evaluate mannan oligosaccharides (MOS) as an alternative additive to growth promoters in broiler diets by studying the morphology of the intestine and the performance. For this purpose, 1280 broiler chicks were distributed in a completely randomized design with four treatments (negative control, NC: diet free of antibiotics; positive control, PC: diet with antibiotic and two diets, MOS 1 and MOS 2, in which were added to NC two distinct sources of MOS) and eight repetitions, and the experimental unit consisted of 40 birds. To submit birds to the challenge, a basal diet was formulated with corn, soybean meal and meat and bones meal, was adopted used litter, cleaning of water troughs twice a week and were offered weekly water contaminated with litter. The variables evaluated were villus height and crypt depth of duodenum, jejunum and ileum, feed intake, weight, body weight gain and feed conversion ratio. There was improvement in crypt depth in jejunum and in villus height in ileum of birds fed diets containing MOS. The addition of MOS, regardless of source, resulted in improvement in feed conversion ratio than birds of NC, and were similar to the birds of PC. The mannan oligosaccharides can be used as an alternative additive to growth promoters in diets for broiler chickens, but depending on the source, this can result in small differences in bird performance.
Objetivou-se avaliar dietas contendo mananoligossacarídeos (MOS) como aditivo alternativo aos promotores de crescimento por meio do estudo da morfometria do intestino e do desempenho de frangos de corte. Para tanto, 1280 pintos de corte foram distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos (controle negativo, CN: dieta isenta de antibiótico; controle positivo, CP: dieta contendo antibiótico e duas dietas, MOS 1 e MOS 2, nas quais foram adicionadas ao CN duas fontes distintas de MOS) e oito repetições, sendo a unidade experimental composta por 40 aves. Para submeter as aves ao desafio sanitário, foi formulada uma dieta basal com milho, farelo de soja e farinha de carne e ossos. Adotou-se cama reutilizada, limpeza dos bebedouros duas vezes por semana e oferta semanal de água contaminada com cama. Foram avaliadas altura de vilo e profundidade de cripta do duodeno, jejuno e íleo, consumo da dieta, peso médio, ganho de peso e conversão alimentar das aves. Houve melhora na profundidade de cripta no jejuno e na altura de vilo no íleo das aves alimentadas com dietas contendo MOS. A adição de MOS, independente da fonte, resultou em melhor conversão alimentar em relação às aves do CN, sendo similares às aves do CP. Os mananoligossacarídeos podem ser utilizados como aditivo alternativo aos promotores de crescimento em dietas para frangos de corte, porém, dependendo da fonte, esta pode acarretar em pequenas diferenças no desempenho das aves.
Biblioteca responsável: BR68.1