Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Ovariohisterectomia por videocirurgia (via NOTES vaginal híbrida), celiotomia ou miniceliotomia em cadelas

Wiecheteck de) Souza, Fernando; Veloso) Brun, Maurício; Teresa de) Oliveira, Marília; Pedro Scussel) Feranti, João; Karina Reis) Corrêa, Rose; Idalêncio, Renam); Cristina Blatt) Duda, Naila; Mendes) Quadros, Aparício; Ricardo) Huppes, Rafael.
Ci. Rural; 44(3)2014.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-708767

Resumo

The elective ovariohysterectomy (OH) is the most frequent procedures performed in dogs. In this study was used three groups of seven animals each (GI, GII, and GIII) that was undergone to three elective OH techniques: (i) mini-celiotomy ("Snook-hook technique"), (ii) hybrid Natural Orifice Translumenal Endoscopic Surgery (NOTES), and (iii) celiotomy ("conventional surgery"). The surgical techniques were compared considering the surgery time, trans and postoperative complications, technical difficulties, postoperative pain, surgical bleedind and some vital parameters as: heart rate (FC), respiratory rate (), rectal temperature, invasive blood pressure (PVI) and central venous pressure (PVC). The OH by hybrid vaginal NOTES was the technique with the lowest post-surgical discomfort score and the lowest surgical bleeding, although its surgical time was higher compared to the conventional and the hook (mini-celiotomy) modalities.
A ovariohisterectomia (OH) eletiva em cadelas é o procedimento mais realizado na cirurgia de pequenos animais. No presente trabalho, foram utilizados três grupos de sete animais (GI, GII e GIII), submetidos a três técnicas de OH eletiva: por celiotomia ("técnica convencional"), por miniceliotomia ("técnica do gancho de Snook"), via cirurgia endoscópica transluminal por orifícios naturais (NOTES) híbrida. Na comparação, foram considerados o tempo de cirurgia, as complicações e dificuldades técnicas trans e pós-operatórias, a avaliação de dor pós-operatória, a quantidade (g) de sangramento cirúrgico estimado, além da determinação de determinados parâmetros vitais, como: frequência cardíaca (FC), frequência respiratória (), temperatura retal, pressão arterial (média) invasiva (PAI) e a pressão venosa central (PVC). A OH via NOTES vaginal híbrida foi a técnica que apresentou menor escore de desconforto pós-operatório, menor sangramento cirúrgico, porém com maior tempo cirúrgico, comparado com as modalidade convencional e por miniceliotomia.
Biblioteca responsável: BR68.1