Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Branching and distribution of the phrenic nerves in the diaphragm of Brazilian Northeast asses (Asinus asinus) / Ramificação e distribuição dos nervos frênicos no diafragma de jumentos do Nordeste brasileiro (Asinus asinus)

Afonso de Amorim Júnior, Adelmar; Luiza de Santis Prada, Irvênia; Angélica Miglino, Maria.
Braz. j. vet. res. anim. sci; 33: 261-269, 1996.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-710558

Resumo

The results obtained from the study of 30 diaphragms of adult asses {Asinus asinus), extracted from 15 male and 15 female animals from the Brazilian Northeastern region, allowed us to reach the following conclusions: 1) The phrenic nerves more frequently result in a lumbocostal trunk and sternal branch, either right (76.7%) or left (53.3%); symmetric disposition was registered in some pieces (43.3%); 2) The lumbar branches are destined to the corresponding crura (pars lumbalis); the right branches give small branches to the medial left crus (3.3%), to the right dorsal foliole (6.7%) and to the left dorsal foliole (3.3%), and the leftones also give small branches to the medial right crus (3.3%) to the left dorsal foliole (13.3%) and to the ventral foliole (6.7%);3) The costal branches are distributed to the dorsal region of the pars costalis of each respective side, either right or left, to the right side of the ventral region (3.3%) and to the right dorsal foliole (3.3%), and the left one to the left dorsal foliole (10.0%); 4) The sternal branches are destined to the pars sternalis and ventral region of the pars costalis at the same side; at the right side, they give small branches to the vena cava caudalis (3.3%), or to the ventral foliole (3.3%).
Mediante fixação e dissecação, foram examinadas, em 30 diafragmas de jumentos do Nordeste brasileiro (Asinusasinus), sendo 15 de machos e 15 de fêmeas, adultos, a ramificação e a distribuição dos nervos frênicos direito e esquerdo, tendo-se observado que: 1) Os nervos frênicos resolvem-se mais freqüentemente em tronco lombocostal e ramo esternal, tanto à direita (76,7%) como à esquerda (53,3%), com disposição simétrica em parte dos casos (43,3%); 2) Os ramos lombares destinam-se aos pilares correspondentes {pars lumbalis), cedendo ainda, da direita, filete nervoso ao pilar mediai esquerdo (3,3%), folíolo dorsal direito (6,7%) e folíolo ventral (3,3%) e, o da esquerda, filete nervoso ao pilar mediai direito (53,3%), folíolo dorsal esquerdo (13,3%) ou folíolo ventral (6,7%); 3) Os ramos costais distribuem-se à região dorsal da pars costatis do lado correspondente, tanto à direita como à esquerda e, ainda, à região ventral (3,3%) à direita, ao folíolo dorsal direito (3,3%) e, à esquerda, ao folíolo dorsal esquerdo (10,0%); 4) Os ramos esternais distribuem-se, do mesmo lado, à pars sternalis e região ventral da pars costalis, emitindo, ainda à direita, filete nervoso para a veia cava caudal (3,3%) ou para o folíolo ventral (3,3%).
Biblioteca responsável: BR68.1