Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Chemodectoma in dogs: a case report / Quemodectoma em cães: relato de caso

Aparecida Perrone, Eliana; Guilherme Xavier, José; Costa Pereira Chamas, Patrícia; Luiz Catão Dias, José.
Braz. j. vet. res. anim. sci; 29(2): 233-237, 1992.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-710721

Resumo

Chemodectoma is a neoplasm arising from the carotid and aortic bodies, having neuroectodermic origin. It has been related mainly in human beings and dogs. Among the later, the brachiocephalics are the most susceptible, mainly the ones older than six. This case reports a seven year old, male Boxer dog, presenting convulsion and dry cough. The animal died and it was sent to the Pathological Anatomy Section of the Department of Pathology at FMVZ-USP. The post-mort examination revealed the presence of hemopericardium, pulmonar oedema, hepatic and renal congestion and gall bladder oedema, but the most important feature found was the presence of 4 oviform tumoral masses, within the toracic cavity. The histopathology revealed a solid tissue, essentially cellular, with lobules delimitated by delicate septa arising from bands of thick connective tissue. The neoplastic cells presented an homogeneous aspect characterized by a round or polyhedral shape with an excentric and evident nucleoli. There were few mitosis, without atypical signes. The micro and macroscopics aspects are compatible with a chemodectoma diagnosis.
O quemodectoma é uma neoplasia derivada dos corpos aórticos e carotídeos, tendo origem neuroectodérmica. Tem sido relatado com maior freqüência em humanos e cães. Destes, os animais braquicefálicos são os mais susceptíveis, notadamente em faixa etária superior a 6 anos. O presente relato se refere a um animal de espécie canina, de raça Boxer, macho, de 7 anos de idade, apresentando histórico de quadro convulsivo e tosse seca. O animal veio a óbito e foi encaminhado ao setor de Anatomia Patológica do Departamento de Patologia da FMVZ-USP. O exame macroscópico evidenciou a presença de hemopericárdio, congestão e edema pulmonares, congestão hepática, renal e edema de vesícula biliar. Porém, o achado macroscópico mais significativo foi a presença de 4 formações tumorais ovaladas na cavidade torácica. O exame histopatológico das formações evidenciou um tecido sólido, altamente celular, com a delimitação de lóbulos através de trabéculas conjuntivas espessas, que emitiam septos delicados subdividindo-os. As células tumorais apresentaram-se uniformes, tendo um formato poliédrico, com núcleo grande esférico, geralmente excêntrico; nucléolo evidente, e cromatina finamente granular; citoplasma de dimensões variáveis e granulação acidofílica delicada. Foi observado pequeno número de figuras mitóticas sem sinais de atipia. Os quadros macro e microscópicos são compatíveis com o diagnóstico d
Biblioteca responsável: BR68.1