Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Growth curve in crossbred Santa Inês x Texel ovines raised in the southwestern region of Bahia state / Curva de crescimento em ovinos mestiços Santa Inês x Texel criados no Sudoeste do Estado da Bahia

Henrique Mendes Malhado, Carlos; Luiz Souza Carneiro, Paulo; Ferro Santos, Polliana; Maria Machado Azevedo, Danielle; César de Souza, Julio; Roberto Mello Affonso, Paulo.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-711752

Resumo

The present study had the objective to analyze the application of non-linear models to describe the growth of crossbred Santa Inês x Texel sheep and, then define the best adjusted model, to evaluate the influence of environmental factors (sex, birth month and type of parturition) over curve parameters. Data based on 24 weights, 15 days each, of 75 animals from birth up to 365 days of age were used. The non-linear models evaluated were: Brody, Von Bertalanffy, Richards, Logistic and Gompertz. The models Von Bertalanffy and Gompertz presented the best adjustment at the initial growth period. However, the Logistic model provided the best adjustment from 120 days of age and the lowest genetic divergence in relation to the observed average weight and, therefore, it was considered the more appropriate growth model within the studied period. An accentuated decrease in the absolute growth rate was observed after weaning and nutritional strategies should be performed to avoid the low weight gain at this stage. Environmental factors had no effects on the Logistic curve parameters, excepting the parturition kind, which influenced the parameter m. The correlation estimated between the parameters A and k was negative (-0.44), indicating that fast-growing young animals are less likely to reach higher weights when adults.
O objetivo deste estudo foi analisar modelos não lineares para descrever o crescimento em ovinos mestiços ½Santa Inês x ½Texel e, após a definição do modelo de melhor ajuste, avaliar a influência de fatores ambientais (sexo, mês de nascimento e tipo de parto) sobre os parâmetros da curva. Foram utilizados dados de 24 pesagens (quinzenais) de 75 animais do nascimento aos 365 dias de idade. Os modelos não lineares utilizados foram: Brody, Von Bertalanffy, Richards, Logístico e Gompertz. Os modelos Von Bertalanffy e Gompertz apresentaram o melhor ajuste na fase inicial de crescimento. O modelo Logístico apresentou melhor ajuste a partir dos 120 dias de idade e menor divergência gráfica em relação ao peso médio observado e, portanto, foi considerado o mais adequado para modelar o crescimento dos animais no período estudado. Constatou-se acentuado decréscimo da taxa de crescimento absoluto na fase pós-desmama e estratégias nutricionais devem ser implantadas, com o objetivo de amenizar o pequeno ganho de peso nesta fase. Os efeitos ambientais não influenciaram os parâmetros da curva logística, com exceção do tipo de nascimento que influenciou significativamente o parâmetro m. A correlação estimada entre os parâmetros A e k foi negativa (-0,44), indicando que os animais mais precoces possuem menor probabilidade de atingir pesos elevados à idade adulta.
Biblioteca responsável: BR68.1