Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

VALOR NUTRITIVO DA PALHA DE ARROZ AMONIZADA COM OVINOS

Fadel, Rossala; Rosa, Beneval; Pereira de Oliveira, Itamar; Fleury Orsine, Geisa; Dourado Dias, Iran.
Ci. Anim. bras.; 5(1): 19-26, 2004.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-713019

Resumo

Avaliação do consumo voluntário e da digestibilidade aparente da palha de arroz amonizada com uréia e palha não tratada (PNT), em um ensaio de metabolismo com ovinos adultos machos com pesos entre 35 e 38kg, realizado no período de 5 de fevereiro a 22 de junho de2001. Foram avaliados os seguintes tratamentos: T1 =PNT+uréia (20 g/kg de matéria seca), T2 = T1+uréia (20 g/kg MS)+400 g de concentrado/animal/dia), T3 = palha amonizada (4% de uréia com base na MS) e T4 = T3+(400 g de concentrado/animal/dia). O concentrado era à base de80% de milho e 20% de farinha de penas hidrolizadas com 27,73% de proteína bruta. O experimento foi desenvolvido em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições de um animal cada. Após a análise de variância, fez-se a comparação de médias pelo teste de Tukey (P 0,05),em que se verificou que a amonização da palha de arroz provocou efeito significativo (P 0,05) no consumo voluntário da matéria seca e da proteína bruta, com valores de61,04 e 51,66; 8,82 e 5,23 g/PV0,75/dia, respectivamente para a palha de arroz amonizada e a palha não tratada. Por outro lado, o fornecimento de concentrado provocou aumento significativo (P 0,05) no consumo voluntário de MS e de PB, em relação à palha amonizada e à palha não tratada. Foram observados valores significativos (P 0,05) para a digestibilidade aparente da matéria seca (62,12% e 55,16%)e
Biblioteca responsável: BR68.1