Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

DIAGNÓSTICO DE FILARÍDEOS EM QUATIS NO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU, FOZ DO IGUAÇU, BRASIL DADOS PRELIMINARES

F. D. MORAES, M.; X. SILVA, M.; C. A. ALBUQUERQUE, A.; C. SILVA, A.; C. M. MATOS, P.; H. TEBALDI, J.; G. LUX-HOPPE, E..
Ars Vet.; 31(2)2015.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-714737

Resumo

O Parque Nacional do Iguaçu é um dos últimos remanescentes de mata atlântica da região Sul, e por possuir as Cataratas do Iguaçu, com sua beleza exuberante, atrai anualmente mais de 1.000.000 de turistas, de vários países, que devido ao contato mais próximo com a natureza, possíveis vetores e potenciais hospedeiros se expõem a um risco de contrair patógenos. Dessa forma, esta pesquisa visou levantar a prevalência de filarioses em quatis (N. nasua) e cães domésticos no referido Parque. Foram capturados 75 quatis e 50 cães domésticos, posteriormente anestesiados com Zoletil® (5mg/kg) para colheita de amostras por punção jugular. Foram realizados o teste de Knott, sorológico para Dirofilaria immitis e histoquímica para identificação das microfilárias. O resultado do teste de concentração de Knott em quatis e cães domésticos demonstrou prevalência respectivamente de 81,6% e 17,7%, e total de cinco morfotipos identificados; no teste imunológico para Dirofilaria immitis, demonstrou-se prevalência de 1,29% em quatis e 22% em cães. A histoquímica das microfilárias dos quatis demonstrou a presença de sete padrões de marcação com prevalência de 1,29% para D.immitis, 10,6% para Dirofilaria repens e Acantocheilonema reconditum, 26,7% para os gêneros Mansonella sp. e 8% para Brugia sp, além de dois morfotipos não identificados. As três espécies identificadas infectando quatis no Parque Naci
Biblioteca responsável: BR68.1