Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Efeitos Nutricionais e Metabólicos de Dietas Ricas em Ácidos Graxos Poliinsaturados para os Ruminantes e os Benefícios para o Homem

Cristina Modesto, Elisa; Tadeu do Santos, Geraldo; Vilela, Duarte; Dias Gonçalvez, Geane; Matsushita, Makoto.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-715082

Resumo

O objetivo desta revisão foi pesquisar a ação dos ácido graxos, linoléico, C18:2 ômega 6 e o ácido linolênico, C18:3 ômega 3, nos ruminantes e caracterizar a importância destes ácidos graxos presentes em produtos derivados dos ruminantes para o homem. O ácido linoléico, ácido octadecadienóico com duas insaturações, C18:2, possui várias formas de isômeros, no qual irão diferenciar conforme o posicionamento e a geometria das duplas insaturações, devido as modificações, este é chamado ácido linoléico conjugado (CLA). O isômero de CLA mais característico na gordura dos ruminantes, tanto no leite quanto na carne, é o C18:2 cis-9, trans-11, no qual esse conjugado específico, possui características anticarcinogênicas. Os ácidos graxos ao serem fornecidos para os ruminantes, sofrerão alterações devido ao ambiente ruminal, sobre estes irão atuar bactérias específicas com a capacidade de hidrolizar, isomerizar e biohidrogenar. Devido a cinética de biohidrogenação foi proposto que parte do CLA que aparecia na gordura dos ruminantes foi devido a síntese endógena, a qual acontece nos tecidos dos ruminantes devido a existência de uma enzima específica. Os fatores externos, principalmente as alterações na dieta, poderão acarretar em modificações na biohidrogenação ruminal, havendo, desta forma, diferenciações na composição da gordura. A partir dos ácidos linoléico e linolênico são possíveis s
Biblioteca responsável: BR68.1