Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

The evaluation of the use equine and bovine feces as the source of inoculum for measure the feedstuffs in vitro dry matter digestibility - DOI: 10.4025/actascianimsci.v25i2.2025 / Utilização de fezes (eqüina ou bovina) em substituição ao líquido ruminal como fonte de inóculo para determinação da digestibilidade in vitro de alimentos para ruminantes - DOI: 10.4025/actascianimsci.v25i2.2025

Toledo da Silva, Karina; Cristina da Silva, Daniele; Tadeu dos Santos, Geraldo; Regina Alcalde, Claudete; Alavarse Zambom, Maximiliane; Cristina Modesto, Elisa; Eduardo Furtado, Carlos.
Acta Sci. Anim. Sci.; 25(2): 355-361, 2003.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-724570

Resumo

The goal of work was to evaluate the utilization of equine (EF) and bovine feces (BF), obtained from the rectum, as the source of alternative inoculum to ruminal liquor (RL), for determinate the in vitro dry matter digestibility according to the technique described by Tilley and Terry, adapted to ruminal fermentation (DAISYII/ ANKOM® . One Holstein cow, donor of ruminal liquor and feces, and one Percheron mare with donor of feces were used, receiving concentrated ration and with access to a Cynodon dactylon sward. The completely randomized experimental designer was used with three treatments and four replications. Seven feedstuffs were used: corn ground (CGR), triticale ground (TTG), soybean hulls (SBH), superior third of cassava foliage silage (CFS), alfalfa hay (AFH), Tifton 85 hay (TFH) and Coast-cross hay (CCH). The inoculum prepared with feces presented ability of degradation, however with less efficiency related to the ruminal liquor.
O objetivo do experimento foi avaliar o uso das fezes de eqüino (FE) e de bovino (FB), obtidas diretamente do reto, como fonte de inóculo alternativo ao líquido ruminal (LR), para determinação da digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) de acordo com a técnica descrita por Tilley e Terry, adaptada para o fermentador ruminal DaisyII (ANKOM® Technology). Foram utilizadas uma vaca da raça Holandesa, doadora de líquido ruminal e fezes, e uma égua da raça Percheron como doadora de fezes, recebendo ração concentrada, e com acesso a uma pastagem de grama-estrela (Cynodon dactylon). O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado com três tratamentos (LR, FB e FE) e quatro repetições. Foram utilizados sete alimentos: milho moído (MIM), triticale moído (TTM), casca do grão de soja (CGS), silagem do terço superior da rama de mandioca (SRM), feno de Alfafa (FAF), feno de Tifton 85 (FTF) e feno de Coast-cross (FCC). O inóculo preparado com as fezes apresentou capacidade de degradar alimentos, porém com menor eficiência do que o líquido ruminal.
Biblioteca responsável: BR68.1