Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Occurrence and collection of Africanized honeybee swarm and colonies on the urbane zone of Maringá, Paraná State, Brazil - DOI: 10.4025/actascianimsci.v28i3.53 / Ocorrência e coleta de colônias e de enxames de abelhas africanizadas na zona urbana de Maringá, Estado do Paraná, Brasil - DOI: 10.4025/actascianimsci.v28i3.53

de Alencar Arnaut de Toledo, Vagner; Luiz Buranelo Toral, Fábio; Bueno de Miranda, Sidnei; Shiraishi, Adilson; Hideo Hashimoto, Juliano; Rossi da Silva, Waldirene.
Acta Sci. Anim. Sci.; 28(3): 353-359, 2006.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-724614

Resumo

During the last years, a great number of swarms of Africanized honey bees migrated to the urban zone of Maringá, Paraná State, Brazil, causing a great concern, mainly in those who live at home with children, elderly and allergic people. This study aimed to record and remove the colonies and swarms reported to the Animal Science Department at Universidade Estadual de Maringá from 1997 to 1999, in order to avoid possible problems caused by honey bees (Apis mellifera) to the community and use them for research and teaching purposes. 283 reports were recorded, being 226 (79.9%) colonies and 57 (20.1%) swarms. 191 (67.5%) of the total reports were collected, being 169 (88.5%) colonies and 22 (11.5%) swarms. The honeybees were generally located in roofs (123; 43.5%), boxes (64; 22.6%), floors (59; 20.8%) and trees (37; 13.1%)
Nos últimos anos, um grande número de enxames de abelhas africanizadas migrou para a zona urbana de Maringá, Estado do Paraná, Brasil, o que vem causando uma grande preocupação nos moradores, principalmente para aqueles que moram em casas com crianças, idosos e/ou com pessoas alérgicas. O objetivo deste trabalho foi registrar e retirar as colônias e os enxames que foram comunicados ao Departamento de Zootecnia da Universidade Estadual de Maringá, nos anos de 1997 a 1999, a fim de evitar eventuais problemas causados pelas abelhas (Apis mellifera) à comunidade e utilizá-los para fins de pesquisa e de ensino. Foram registradas 283 ocorrências, sendo 226 (79,9%) colônias e 57 (20,1%) enxames. Destas, foram coletadas 191 (67,5%), sendo 169 (88,5%) colônias e 22 (11,5%) enxames. As colônias e os enxames estavam alojados, em sua maioria, em telhados (123; 43,5%), em caixas (64; 22,6%), em assoalhos (59; 20,8%) e em árvores (37; 13,1%).
Biblioteca responsável: BR68.1