Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Different protein vegetal sources for the Nile tilapia (Oreochromis niloticus L.) during sexual reversion - DOI: 10.4025/actascianimsci.v26i1.1929 / Diferentes fontes protéicas de origem vegetal para tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus L.) durante a reversão sexual - DOI: 10.4025/actascianimsci.v26i1.1929

Regina de Souza, Sandra; Hayashi, Carmino; Maria Galdioli, Eliana; Martins Soares, Claudemir; Meurer, Fábio.
Acta Sci. Anim. Sci.; 26(1): 21-28, 2004.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-724671

Resumo

Three hundred and sixty Nile tilapia larvae were distributed in 24 12L-aquaria to evaluate different protein vegetal sources. Design was totally randomised with four treatments and six repetitions. Four protein vegetal sources were compared: soy meal (SM), canola meal (CM), sunflower meal (FG) and cotton meal (TM). Uniformity of lots, condition factor and survival were not affected by the different treatments. TM had the worst results in weight and final length. Carcass dry matter of fish fed on FM was superior to SM (p 0.05). Percentage of crude protein of carcass was highest in treatments CM and SM; the lowest percentage belonged to FM. SM, CM and FM may be used as protein vegetal sources without any impairment in the performance of Nile tilapia larvae.
Com o objetivo de avaliar diferentes fontes protéicas de origem vegetal para a tilápia do Nilo durante a fase de reversão sexual, foram utilizadas 360 larvas distribuídas em 24 aquários (12 litros cada) em um delineamento inteiramente casualizado com quatro tratamentos e seis repetições. Foram comparadas quatro fontes protéicas de origem vegetal, sendo o farelo de soja (FS), farelo de canola (FC), farelo de girassol (FG) e farelo de algodão (FA). A uniformidade do lote, o fator de condição e a sobrevivência não foram afetadas pelos diferentes tratamentos. O FA levou aos piores resultados no peso e no comprimento final. A matéria seca da carcaça dos peixes alimentados com FG apresentou-se superior a do FS (p 0,05). A percentagem de proteína bruta da carcaça foi mais alta nos tratamentos FC e FS, sendo que a menor percentagem foi observada no FG. Conclui-se que os farelos de soja, canola e girassol podem ser utilizados como fontes protéicas de origem vegetal sem prejudicar o desempenho das larvas de tilápia do Nilo.
Biblioteca responsável: BR68.1