Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Histology of skin of Piaractus mesopotamicus and leather resistance tests - DOI: 10.4025/actascianimsci.v25i1.2071 / Histologia da pele do pacu (Piaractus mesopotamicus) e testes de resistência do couro - DOI: 10.4025/actascianimsci.v25i1.2071

Luiza Rodrigues de Souza, Maria; Nakaghi Ganeco, Luciana; Satiko Okada Nakaghi, Laura; Helena Sant'Ana Faria, Regina; Maria Wagner, Petra; Aparecido Povh, Jayme; Cristina Ferreira, Isabel.
Acta Sci. Anim. Sci.; 25(1): 37-44, 2003.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-725332

Resumo

This work study the histology of skin of Piaractus mesopotamicus (Holmberg, 1887), and after tanning, the leather resistance. Dermis showed a superficial layer with thin, united and interlaced fibers and a inner layer with thinner and spacer fibers. When this layer keeped away from epidermis, the sheaf fibers became thicker, uniter and interlacer. The resistance to tension of body length was significatively inferior in longitudinal sense (5.93 N/mm) when compared with transversal sense (13.81 N/mm). The extension value until the rupture was superior (P0.05) to progressive tearing. The leather resistance to tension and extension was higher in transversal sense to body lenght of fish and there wasnt difference to progressive tearing between the section analysed. Thus, the tension was 9.87 N/mm and 64.59% of elongation that are inside the standard require to clothes industry.
Este trabalho analisou a morfologia da pele do pacu, Piaractus mesopotamicus (Holmberg, 1887), e, após curtimento, a resistência do couro. Observou-se que a derme apresenta uma camada superficial com fibras finas, juntas e entrelaçadas, sem diferenciação quanto à disposição das mesmas e uma camada profunda, com fibras mais finas e espaçadas; e à medida que se distanciam da epiderme, os feixes de fibras tornam-se mais espessos, juntos e entrelaçados. A resistência à tração foi significativamente menor no sentido longitudinal (5,93 N/mm2) comparada ao transversal (13,81 N/mm2) em relação ao comprimento do corpo. O valor de alongamento até a ruptura foi superior (p0,05) para rasgamento progressivo. A resistência do couro à tração e alongamento foi superior no sentido transversal ao comprimento do corpo do peixe e não houve diferença para o rasgamento progressivo entre os cortes analisados (transversal e longitudinal). Sendo assim, a média da tração foi 9,87 N/mm2 e 64,59% de elongação, estando dentro dos padrões exigidos para ser utilizado na confecção de vestuário.
Biblioteca responsável: BR68.1