Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Failure of cortisol response in induced capture handling stress and carrageenin in Piaractus mesopotamicus Holmberg, 1887 (Osteichthyes: Characidae) / Falha na resposta do cortisol ao estresse por captura e por carragenina em Piaractus mesopotamicus Holmberg, 1887 (Osteichthyes: Characidae)

Laterça Martins, Maurício; Ruas de Moraes, Flávio; Rodini Engrácia de Moraes, Julieta; Braga Malheiros, Euclides.
Acta Sci. Biol. Sci.; 22: 545-552, 2000.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-726052

Resumo

In this assay the effect of consecutive stress handling and carrageenin injection (500 µg in 0.5 ml of saline solution) or 0.5 mL of saline on Piaractus mesopotamicus Holmberg, 1887 (Osteichthyes: Characidae) was evaluated. The fish were subjected to 30 s capture handling stress applied repeatedly at 60 min intervals over 6 h. Blood sampling was as following: time 0: basal blood sampling and first stress; time 1: injection with carrageenin or saline and sampling after 5 min; time 2: stress and sampling after 5 min; time 3: stress and sampling after 5 min; time 4: stress and sampling after 5 min; time 5: blood sampling after 90 min. Circulanting cortisol levels showed significant decrease in time 4 and 5 in both carageenin and saline injected fish. In saline injected fish, glucosis increased in time 2 while in carrageenin injected fish this fact occurred in time 3. An increase in the special granulocitic cells and lymphocitopenia in blood were observed in the time 2. Neutrophilia was reported in time 3.
Neste ensaio, foi estudado o efeito do estresse de captura e das injeções de carragenina (500 µg dissolvidos em 0,5 ml de solução salina) ou solução salina (0,5 ml) sobre as repostas glicêmica e de cortisol em pacu Piaractus mesopotamicus Holmberg, 1887. O estímulo estressante foi aplicado pela captura em rede por 30s, repetidamente a cada 60 min, pelo período de 6 h. Para dosagem do cortisol, da glicose e contagem diferencial de leucócitos e trombócitos, alíquotas de sangue foram colhidas no tempo zero para determinar os valores basais, seguindo-se a aplicação do primeiro estresse. No tempo 1, os peixes foram injetados com carragenina ou salina (controle) e nova colheita foi realizada após 5 min; no tempo 2, aplicou-se novo estresse de captura e, após cinco minutos, nova colheita de sangue, repetindo-se as mesmas operações nos tempos três e quatro. No tempo cinco, a colheita de sangue foi realizada 90 minutos após a aplicação do estresse. Os resultados demonstraram que, nos peixes injetados com salina, a glicemia aumentou uma hora depois, enquanto que, nos injetados com carragenina, esse fenômeno foi detectado após duas horas. No sangue, maior número de células granulocíticas especiais e linfopenia ocorreram a partir de duas horas e neutrofilia a partir de três horas, coincidindo com o aumento da glicemia. Os níveis circulantes de cortisol apresentaram redução significativa em
Biblioteca responsável: BR68.1