Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Dioctophyme renale (Nematoda: Enoplida) in domestic dogs and cats in the extreme south of Brazil / Dioctophyme renale (Nematoda: Enoplida) em cães e gatos domésticos no extremo sul do Brasil

Rappeti, Josaine Cristina da Silva; Mascarenhas, Carolina Siqueira; Perera, Soliane Carra; Müller, Gertrud; Grecco, Fabiane Borelli; Silva, Luísa Mariano Cerqueira da; Sapin, Carolina da Fonseca; Rausch, Stella Falkenberg; Cleff, Marlete Brum.
R. bras. Parasitol. Vet.; 26(1): 119-121, jan.-mar. 2017.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-732625

Resumo

Dioctophyme renale is a zoonotic nematode that parasites the kidneys of wild and domestic carnivores, and it has been reported frequently in Brazil. The aim here was to register the number of cases of dogs and cats diagnosed with dioctophymosis by necropsy (1981 to 2014) and ultrasound examination (2010 to 2015) in Pelotas-RS. In this context, a survey was conducted on dioctophymosis cases diagnosed at the Veterinary Pathology Laboratory (LPV) and Veterinary Clinical Hospital (HCV) of the Federal University of Pelotas (UFPel), and at a specialist veterinary imaging diagnostics clinic. In total, 95 cases were registered. The high series of the disease in dogs can be related to the presence of a large number of stray and semi-domestic dogs in the city, and also due to the ingestion of intermediate hosts of D. renale parasitized with the infective larvae. Thus, it can be concluded that Pelotas is a city with favorable conditions for the occurrence of dioctophymosis with high rate of disease in recent years.(AU)
Dioctophyme renale é um nematódeo zoonótico que parasita principalmente o rim de carnívoros silvestres e domésticos, e tem sido relatado com frequência no Brasil. Objetivou-se registrar o número de casos de cães e gatos diagnosticados com dioctofimatose por necropsia (1981 a 2014) e exame ultrassonográfico (2010 a 2015) em Pelotas-RS. Nesse contexto, foi realizado um inquérito de casos de dioctofimatose em animais de companhia no Laboratório de Patologia Veterinária (LPV) e no Hospital de Clínicas Veterinária (HCV) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), e em uma clínica veterinária especializada em diagnóstico por imagem, totalizando 95 casos registrados. A elevada casuística da doença em cães pode estar relacionada à presença de um grande número de cães errantes e semi-domiciliados na cidade, e também devido à ingestão dos hospedeiros intermediários de D. renale parasitados com a larva infectante. Assim, conclui-se que Pelotas é uma cidade propícia para a ocorrência de dioctofimatose, com elevada casuística da doença nos últimos anos.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1