Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Ehrlichia canis DNA in domestic cats parasitized by Rhipicephalus sanguineus sensu lato (s. l. ) ticks in Brazil ­ case report / Felinos domésticos parasitados por carrapato Rhipicephalus sanguineus sensu lato (s. l. ) infectados por Ehrlichia canis no Brasil ­ relato de caso

Braga, Ísis Assis; Taques, Isis Indaiara Gonçalves Granjeiro; Costa, Jackeliny dos Santos; Dias, Ingrid Savino de Oliveira; Grontoski, Estefânia Crivelatti; Ziliani, Thaysa Felfili; Melo, Andréia Lima Tomé; Aguiar, Daniel Moura de.
Braz. j. vet. res. anim. sci; 54(4): 412-415, 2017. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-734930

Resumo

Ectoparasites can transmit pathogens, including bacteria such as Ehrlichia sp., which trigger infectious diseases in domestic animals. Little is known about the epidemiology of feline ehrlichiosis, although several studies have focused on elucidating the pathogenesis and transmission of this disease. This paper presents the first mutual infection by Ehrlichia sp. between a domestic cat and a Rhipicephalus sanguineus sensu lato (s.l.) tick removed from the animal. The cat and tick were tested by Polymerase Chain Reaction (PCR) to detect the dsb gene, and the analyzed sequences revealed samples 100% identical to E. canis. Based on this report, we discussed the importance of cats as E. canis reservoirs s and their position in the cycle of transmission between dogs and cats in Brazil.(AU)
Os ectoparasitos são capazes de transmitir patógenos incluindo algumas bactérias, como a Ehrlichia sp., causando doenças em animais domésticos. Pouco se conhece sobre a epidemiologia da erliquiose felina, embora alguns estudos já tenham sido realizados para elucidar a sua patogenia e transmissão. Este trabalho relata a primeira infecção mútua por Ehrlichia sp. entre um felino doméstico e o carrapato Rhipicephalus sanguineus sensu lato (s.l.) removido deste animal. Ambos foram testados pela Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR) para detectar o gene dsb, e as sequências analisadas confirmaram amostras 100% idênticas à E. canis. Baseado neste relato é discutida a importância dos gatos como vetores de E. canis e sua posição no ciclo de transmissão de carrapatos entre cães e gatos no Brasil.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1